Coisas a observar quando comprar uma moto usada

vende-se_moto[1]

O mercado de motos usadas oferece várias oportunidades para se fazer um excelente negócio. Motos não deterioram tão rápido quanto os carros. A manutenção das motos é mais barata, em geral, e nas categorias de motos médias (+ de 500cc) e grandes com frequência se encontra motos que foram pouco usadas. Mesmo entre as motos mais populares, existem marcas e modelos que sofrem uma desvalorização enorme. Isso torna a moto mais acessível. Mas nem tudo são flores. É preciso examinar bem a motocicleta que se cogita comprar pois ela pode ter alguma bronca séria cuja resolução pode sair tão cara ou trazer tanto aborrecimento que anula a vantagem financeira de comprar uma moto usada mais barata. A seguir a lista das coisas que devem ser verificadas antes de comprar uma moto e evitar entrar numa cilada.

1 – Procedência. Quem é o dono ? porque está vendendo ? A documentação está em ordem ? Tem alienação fiduciária ? Tá quitada ou ainda falta parcela ? Quem está vendendo é de fato o dono no papel ? Tem muitas multas ? Está licenciada ? IPVA em dia ? A maioria dos Detran´s do Brasil permitem que se faça consulta da situação da moto usando apenas a placa. Basta acessar o site do Detran do estado em que a moto está registrada. Algo assim http://www.detran.XX.gov.br onde o XX é a sigla do estado alvo. Verifique se a marcação do chassi e do motor estão claras. Se tiver a mínima suspeita de adulteração, pule fora. O fato é que hoje em dia a maioria dos problemas em compras de motos usadas é relacionada a documentação e não a problemas mecânicos.

2 – Chassi/quadro: Fique a uns 5 metros de distância de frente para a moto, coloque-a em pé e verifique, olhando por baixo, verifique se a roda traseira está alinhada com a roda dianteira. Repita o processo do lado de traz. As rodas tem que estar completamente alinhadas.

3 – Aparência geral. Verifique por arranhões/amassos no tanque, nos manetes, nos manicotos, nas pedaleiras. Verifique se os pedais de freio e marcha estão empenados ou se a tinta esta descascada nas curvas e nas soldas dos canos. Pode ter sido empenado/desempenado e a tinta lascou. Verifique as luzes, piscas, couro do banco.

4 – Motor: com o motor frio, veja se pega de primeira. Se tiver pedal de partida, experimente-o. Veja se tem algum vazamento de óleo no cabeçote ou no bloco do motor. Veja a cor do óleo do motor. Acelere mas sem abusar e ouça se o motor engasga ou se faz algum barulho diferente, se vibra de forma descontrolada em baixa rotação.

5 – Escape. Se a moto tiver um escape só, ligue o motor e tape a boca do escape com a sola do seu sapato. Veja se o barulho fica completamente abafado (bom sinal) ou se faz barulho de gas vazando por algum outro lugar. Se a moto morrer logo em seguida, desista. Veja se faz fumaça quando acelera/desacelera. Se pingar qualquer coisa do escape, desista (a não ser que seja moto 2 tempos).

6 – Direção. Verifique se os punhos do guidão estão na mesma altura, um em relação ao outro. Veja se os comandos estão funcionando direitinho. Se a moto tiver cavalete central, suspenda a moto nele, levante a roda dianteira colocando o peso no banco/roda traseira. Gentilmente esterce o guidão para um lado e para o outro e tente ver se ele gira macio ou se tem algum “ressalto”. Se tiver, desista. Pode ser rolamento da coluna do guidão e isso é bronca.

7 – Pneus. Verifique se os pneus estão muito carecas. Pelo preço que custam, o estado do pneu pode ser a diferença entre um bom e um mau negócio. Verifique se o desgaste é regular, verifique se tem algum calombo, corte, mordida, furo, mancha, protuberância, cheiro ruim, mau hálito (ops… isso é para estado de mulher, desculpa).

8 – Elétrica. Verifique se tudo funciona, luzes, piscas, buzina, alarme. Se tiver alarme, pergunte quem instalou. Se não tiver alarme, pergunte se já teve e ele tirou ou porque nunca teve e ele não colocou. Verifique a partida elétrica, se houver. Deve funcionar de primeira.

9 – Suspensão. Verifique as bengalas da suspensão dianteira se estão meladas de óleo. Se estiverem sujas, é normal, mas se estiverem meladas mesmo, é bronca. Desista. Use um papel higiênico e depois de verificar o estado in natura das bengalas, limpe-as. Em seguida, monte na moto, freie a roda dianteira e force a suspensão várias vezes, para frente e para traz. Volte a examinar as bengalas em busca de vazamentos. Se você sentir que a suspensão dianteira está estranha, desista. Faça o mesmo na suspensão traseira mas é mais dificil limpá-la porque se for bishock vai ter as molas atrapalhando e se for monoshock fica escondido. Mesmo assim, procure por vazamentos. Se fizer algum rangido maior ou algum estalo, desista.

9 – Freios. Verifique se os discos estão riscados e se as pastilhas estão muito gastas. Veja se os discos estão alinhados, girando a roda devagarzinho e comparando o disco com as pinças. Veja se os cabos de freio ou os tubos hidráulicos estão limpos. Bombeie ambos os freios e procure vazamentos mantendo o manete pressionado. Se o freio traseiro for a tambor, verifique se ele faz algum barulho de arranhado.

9 – Comportamento dinâmico  Andando com a moto procure um lugar plano e liso, sem buracos, sem muito movimento. Acelere até uns 40 ou 50 km/h e solte as mãos do guidão. Se a moto balançar ou desviar para algum lado, desista. A moto tem que manter a linha reta sem maiores dificuldades. Acelere e desacelere trocando as marchas rapidamente, faça umas reduzidas e veja se alguma marcha escapa. Se escapar, desista. Verifique se a moto engasga. Freie com veemência e veja se a moto range ou se se desloca muito o peso para a frente. Ande numa rua de paralelepípedo ou com buracos e teste a suspensão.

9 – Pintura e quadro. Soldas, remendos, arranhões são normais em qualquer moto. Uma moto que levou um tombo não pode ser condenada. Mas uma moto que levou um tombo e um ônibus passou por cima, nunca mais vai ser a mesma. Procure por soldas no quadro e/ou bandeja de suspensão. Se for coisa boba (alça de bagageiro), tudo bem. Se for no meio do quadro, desista.

Lembre-se que problemas de acabamento (piscas quebrados, buzina arranhada, tanque amassado) dá para consertar facilmente. Porém, um motor vazando óleo ou um guidão tremendo a média velocidade é bronca séria que requer uma grana alta para consertar

Anúncios

153 comentários sobre “Coisas a observar quando comprar uma moto usada

  1. Boa noite joão, estou em olhando uma srad 2009, tem alguma dica essencial que ajuda a saber pontualmente para me ajudar antes de compra-la? alem daquelas que estão ali alistadas que por sinal são ótimas.

    • Tenha em mente que você vai comprar uma moto com quase 10 anos de história. Uma moto dessas tem que estar com o motor realmente muito bom. Considerando que é uma moto esportiva, existem duas possibilidades. Ela era uma moto de coxinha, que usou-a pouco e o motor está novo. A outra possibilidade é que ela foi usada para dar bagaço. Aí o motor está prejudicado. Procure saber a história da moto. Como são sao quase 10 anos, vai ser uma história longa. Observe principalmente a questao da queima de óleo. Verifica se sai fumaça no escape e observe com cuidado esse ítem.
      Outro aspecto importante é a eletrônica: painel, ABS, injeção, etc. Verifique se está tudo ok. O resto é barato e fácil de trocar: rolamentos, freios até mesmo a pintura, é barato. Buchas da balança de suspensão traseira, amortecedores normalmente não dão galho e são fáceis de consertar.

  2. Parabens pela conquista e desculpa pela demora em responder. Nem sei se dá tempo. Moto é emoção. Não dá para comprar a moto só com o lado racional. Do ponto de vista racional, a CB500R é muuuuuito mais moto que a R3 ou a Ninjinha. Dito isso, tanto a Ninjinha como a R3 são excelentes motos. Pode comprar qualquer uma das 3 que estará muito bem montada. Me conta o resultado.

  3. Olá João bom dia, acompanho aqui sempre e você apavora nas dicas, estou aqui novamente pq chegou a hora de ter minha moto do sonhos 😀 estou com minha carta de crédito do sicoob de R$20.000 contemplada, mas estou muito na dúvida de qual pegar, tem como opção a ninjinha 2014- modelo laranja com abs ❤ pq eu particularmente amo laranja e preto, essa saíra por R$16.000 (com 10.000km); ou uma R3 2016, com 5.000 km também por R$16.000; ou ainda uma honda CBR 500 R (2016) por R$18.500 com 10.000 km, não sei o que decidir… eu gosto mais do design da ninjinha mas pagarei alto por uma moto 2 anos mais velha do que a yamaha, ou então pago 2.000 a mais por uma honda 2016? Me ajuda, qual é melhor, para menina dirigir… eu tinha uma twister e não gostava faltava torque, e tive uma falcon mas tombei ela umas 3 vezes por não aguentar o peso na hora de montar nela hihi, tenho 1, 69 de altura…aguardo sua opinião!
    Ah sou muito atraída pela MT03 ❤ também, mas quero primeiro pegar a esportiva, e depois mudo para a naked, e futuramente uma bigtrail 😉

  4. Olá bom dia, estou com dúvida entre uma fazer carenada 2008 e uma twister 2008?

  5. Boa tarde Joâo, estou em duvida de comprar uma CG Fan 125 KS 2012.
    20.000KM rodados, Pneus e relação novos (200km), tudo original na moto.
    4.500,00 Reais, achei caro, o que tu acha?
    Muito obrigado

  6. boa noite to indo em sp buscar uma r1 como faco pra olhar direitinho c to buscando uma bomba la o qe exatamente tenho qe olhar na moto hein

    • Verifique se ela queima muito óleo, se faz fumaça. Se possível, lave-a e dê uma volta na moto. As vezes o pessoal enche a moto de graxa para atenuar algum barulho de peça folgada.
      Fique de olho no motor, no radiador, se ela super aquece. Mecha na suspensão e veja se ela faz algum rangido.
      De resto, é só seguir as dicas

  7. Olá amigo! Cara acho que foi achado esse seu blog pelo que parece muito esclarecedor,está de parabéns. Bom tenho uma Lander 2013, com 51,000 rodado estou pensando em troca-la por uma Ténéré 250 nova mas estou na dúvida da 300 por ter ABS, porém ouvir dizer que o consumo dela é maior. Será que comprando a Ténéré posso colocar ABS nela? Caso não troque agora porque ainda não vi como vai ficar o financiamento, pretendo fazer uma revisão nela que em oficinas de bairro custa um pouco menos da metade que na concessionária mas será que vale a pena ? Desde já agradeço.

    • Colocar ABS em moto usada não é barato. As vezes é simplesmente impossível. No caso da Ténéré/Lander a dificuldade é achar um ABS que caiba nelas. Como não existe versão da Ténéré com ABS teria que ser adaptado de outra moto e aí complica. Com freio não se brinca. Não dá para fazer algo “barato”. Tem que ser bom. Se tem algo que não admite improvisação numa moto é FREIO e DIREÇÃO.
      Bom, então você quer uma moto com ABS. Parabens. Isso é uma boa coisa. ABS salva vidas. A minha vida mesmo o ABS já salvou umas treisveis. A XRE tem a versão com ABS que inclusive é um dos melhores do mercado. O problema da XRE é que o motor dela não é tão resistente quanto o motor da Ténéré e o consumo de fato é maior. Quanto ao consumo maior, é de se esperar, afinal a XRE é mais potente que a Ténéré e o aumento de consumo nem é tão grande assim.
      Então? Comprar uma XRE com ABS ? É uma boa ? Francamente, não. A XRE está seriamente ameaçada de sair de linha esse ano ou ano que vem. O motor da XRE é complicado e para atender as novas normas ainda mais rígidas anti-poluição o motor certamente será enfraquecido no futuro. Ou mesmo sairá de linha e substuido será pelo motor da nova Twister, voltando a 250cc.
      Enquanto isso, existem outras motos de 300cc disponíveis no mercado. A Yamaha MT-03, a Yamaha R3, a Kawasaki Verys 300 X, a Suzuki V-strom 250 (que de v tem nada) e agora a recém lançada BMW G 310 R. Ainda temos as KTM Duke 200 e 390. Todas elas com ABS. Se adicionarmos os Scooters temos o honesto Dafra Citycom 300 e o recém lançado Honda SH300, ambos muito bons. Ficou de fora as 250 da Shineray que não vem com ABS. A Next por sinal é uma moto muito boa.
      No seu caso, eu daria um trato na Lander, revisaria ela e ficaria com ela por mais um ano, juntando na poupança o valor da prestação que pagaria no financiamento da XRE300. No início de 2018 vai ter novidades na oferta de motos entre 250 e 300cc, você estará montado na grana e com uma Lander filé para vender. A Lander é ótima e fácil de vender. Faça assim e fará um excelente negócio.

      Se você gosta mesmo da XRE, pode esperar ela sair de linha e comprá-la bem desvalorizada. Só não compre agora senão quem vai pagar essa desvalorização é você.

  8. Boa noite, agora que conheci seu blog, minha duvida é que tenho uma comet 250 e a poucos anos notei que tem uma trinca na tinta de cima para baixo na parte do quadro da peça que parece uma mão francesa e essa trinca na tinta fica proximo a solda no quadro (mas nao passa sobre) … já levei a moto para revisão completa ano passado e nunca falaram nada…será que posso ter problemas no futuro?

    • A Comet 250 compartilha várias peças com a Comet 650. Isso a torna mais pesada do que outras motos de 250cc. Ainda por cima, a Comet 250 tem dois cilindros, portanto ela não pode ser comparada com motos de um cilindro só como a Fazer 250 ou mesmo a CB300 R que tem cilindrada semelhante mas apenas 1 cilindro.
      Bom, dito isso, voltemos a questão da trinca na pintura. Trinca em pintura não é o fim do mundo. Pode ser que a tinta tenha lascado por causa da torção natural que o quadro sofre. O jeito aí é lixar, aplicar o anti-ferrugem e pintar novamente.

      Porém, a rachadura no quadro, na estrutura, vem acompanhada de rachadura na pintura. O que quero dizer é que se a tinta rachou, significa nada. Porém, quando o quadro racha, a tinta racha também.

      Examine novamente o local e procure por fissuras no metal. Se só encontrar o metal liso, desencana. Pinte novamente e observe.

      Se encontrar fissuras, aí complica. O ideal é aplicar uma nova solda para reforçar porém isso tem que ser feito por um soldador bom mesmo.

      Procure na comunidade de usuários de Comet 250 sobre relatos de trinca no quadro. Eu nunca ouvi falar disso nessa moto. Verdade que ela está meio que fora do mercado há alguns anos desde que a Kasinski fechou.

      Recomendo muito entrar em contato com a rede de usuários de Comet 250. Com eles você vai encontrar dicas de peças de reposição, problemas e soluções. Procure em http://www.motonline.com.br

  9. Bom dia João. Me chamo Sérgio e estou pretendendo trocar minha Twister pela antiga CB500 ano 2000. Já andei na moto e motor e direção aparentemente estão tudo ok. O próprio proprietário já me falou que terei que mandar equalizar e limpar os carburadores, trocar velas, filtro de ar ou seja, terei de fazer uma manutenção nela pois ficava mais parada que andando. A moto segundo ele está fazendo média de 13km por litro sem enrolar o cabo, o que pode ser? tá bebendo muito?será só as limpezas mesmo? O motor tando redondinho e parte elétrica funcionando normal, tirando os toques que vc já deu lá em cima, o que vc me aconselharia olhar numa moto de praticamente 17 anos por exemplo. Desde já lhe agradeço e um abraço.

    • O consumo da CB500 chega perto de 19km/l na cidade e algo mais na estrada. Se ela tá fazendo só 13km/l tem algo de fato muito errado. O principal suspeito é o sistema de alimentação de combustível, leia-se “carburadores”. Regular carburador é uma arte que está sendo perdida. Nos dias de hoje, sistemas de injeção eletrônica são muito mais fáceis de manter e regular. Os mecânicos de motor preferem injeção porque é mais rápido e prático de prestar o serviço de regulagem. Já carburador dá trabalho. Carburador duplo então, mais trabalho do que dois carburadores pois tem o lance da equalização.
      Segundo o que você fala a moto não tem maiores problemas. É só a regulagem mesmo. Isso vai requerer um bom mecânico para fazer o serviço. Procure se informar na sua cidade quem tem experiência com carburação de motocicletas grandes em geral e da CB500 antiga em específico. Não deve ser dificil de achar. Depois conta para nós o resultado.
      Quanto a moto ter 17 anos, de fato isso é importante a ser considerado na hora de comprar a moto. Se a sua ideia é ter uma moto mais potente e com mais presença para uns passeios e exibição, uma CB500 antiga bem cuidada ainda é uma moto que chama a atenção. Se a ideia é usá-la no dia-a-dia, pense novamente. Motos antigas requerem muita atenção de seu dono. Nada acima do normal quando comparadas com outras motos da mesma tecnologia (carburação). Porém, comparadas as motos mais modernas, essas CB500 antigas são motos complicadas.
      Pessoalmente, entre uma twister e uma CB500 eu iria 1000 vezes de CB500 pois a moto é realmente muito boa, econömica (essa daí não), resistente e de manutenção relativamente barata para a cilindrada. Além de que tem cara de moto de verdade e é linda.

  10. Boa noite João, surgiu uma oportunidade em minha cidade de comprar uma CRF 250L, gosto da moto, meu uso vai ser a maioria do tempo urbano, porém é uma moto que não durou muito no Brasil, o preço dela tá de 13 mil 2013 o ano e só era usada para test driver na concessionária da Honda em minha cidade, a moto só tem 2500 km rodados, em perfeito estado, a única coisa é que tem alguns arranhões na carenagem, seria uma boa a compra dessa moto? Quais seriam outras motos a considerar?

    • Essa moto é excelente. Tive chance de pilotar uma dessas e me encantei. Ela é mais potente, mais economica e mais durável do que as alternativas que seriam a Ténéré 250 e a XRE 300. Pode-se forçar um pouco a barra e incluir a Discovery 250 da SHineray com qualidade nitidamente inferior (apesar de ser uma moto honesta).

      Os problemas dessa moto são :
      – O tanque é muito pequeno, portanto viagens longas podem se tornar chatas
      – Peças são mais caras e mais difíceis de achar.

      Como a CRF 250 L foi vendida aqui por pouco tempo e em pouca quantidade tem poucas peças alternativas. A comunidade de usuários é pequena e tem boas dicas.

      Se a ideia é ter uma moto para depender do dia-a-dia (ir a trabalho/escola diariamente) eu recomendaria uma Ténéré 250 que é uma moto que tem suporte pós venda. Se a ideia é ter uma moto para lazer, aí pode ser a CRF 250 L.

      Motos de Test-ride (test-drive é para carros) são ótimas para serem compradas. Arranhões são facilmente resolvidos.

  11. Boa noite Joao, então, analise meu caso. Comprei uma YES 2008, na semana passada. Paguei 2300 nela.
    Porém, para que a moto fique belezinha ja investi 400 reais e acabei de descobri que estou com as bengalas empenadas, os retentores estourados e necessito de oleo.
    Fiquei uma fera por que vou gastar mais 140,00 no par + 20,00 dos retentores + 50,00 de mao de obra.

    AFF.
    Vai pra R$ 610,00 .

    Moto sem multa e com docs em dia.

    O total da aquisiçao ficou em R$ 2910,00.

    Fiz um mal negocio, ja que não segui suas dicas?

    • Por enquanto ainda não. Poderia ter feito algo melhor se as bengalas estivessem sadias. Pelo total pago você recebeu uma boa moto. Presumo que você só leu as dicas DEPOIS que comprou a moto, confere ? Um dos itens da lista de verificação é justamente a suspensão dianteira. Por favor, me informe se você usou a lista ANTES ou DEPOIS da compra.

  12. Bom dia Joao
    estou vendo uma fazer 250 2014 … o quadro na frente onde passa os cabos, a tinta esta trincando bem nas soldas…. de acordo com o vendedor isso é “norma”… a moto não tem amaçados, e os parafusos próximos ao local estão todos com aquele “pingo” de tinta da garantia….estou na dúvida se esta moto não foi batida de frente… segui seus conselhos e ela esta alinhadinha pelo menos…

    • Sim, de fato é normal a tinta laskar na emenda. Porém, também é normal a tinta laskar na emenda justamente porque a moto foi empenada devido ao impacto.

      Considerando que você afirma que a moto está alinhada, dê uma checada na firmeza. Se ela está “mole” ou “durinha”.

      Pelo jeito não tem problema maior nessa moto. Recomendo pintá-la assim que possível. Dá uns 300 a 400 reais a pintura completa do quadro.

  13. Boa tarde joao, eu tinha uma yamaha diversion 600, nao era a que eu queria , pois meu sonho era uma R1, mas meus amigos me falaram pra comprar uma uma de cilindrada mais fraca e comprei zero km e amei andar nela, ….ai veio o problema nao tinha força nem velocidade e me sentia sempre atraz dos outros e eles tinham que esperar por min, pois vendi a moto e tive que ficar sem andar uns bons anos (6 anos), mas agora quero mesmo comprar uma yamaha R1, ou kawazaki ninja….Minha pergunta sera que devo continuar com baixa cilindradas…ou sera que me adapto com as de grandes potencias, Nao quero ter uma de baixa cilindradas, mas fico receoso de ter uma de grande potencia e nao me adptar…pois ja nao sou novo. Desde ja agradeço pela ajuda e muito obrigado pelo seu site, parabens

    • O que você relata é um problema comum.

      O grupo a que você quer aderir pelo jeito não espera por companheiros. A ênfase é na velocidade e na pilotagem agressiva com motos do top da R1. Presumo que isso vem junto com uma boa dose de irresponsabilidade. Francamente, o problema aí não é a sua moto. Tampouco a moto que você vai querer comprar. O problema é esse grupo aí. Quer andar de forma irresponsável a mais de 200km/h em vias públicas ? Então o jeito é comprar uma R1 mesmo, fazer um curso de pilotagem, um seguro de vida e torcer para apenas a sua família ser destruida num acidente de moto pilotada em velocidades inadequadas. Torcer para não matar um inocente que tinha nada a ver com a irresponsabilidade.

      Se me permite uma sugestão, eu farejo que você é um pai de família e responsável, caia fora desse grupo.

      Procure uma moto bigtrail. Aí você pode ostentar comprando motos tão caras (ou até mais) que uma Yamaha R1 sem comprometer a segurança, sem precisar correr para acompanhar os amigos e ainda será capaz de viajar por estradas de terra.

      Emoção não vem só com velocidade. Emoção nào vem só com irresponsabilidade.

      Uma moto bigtrail pode dar toda a emoção que uma moto esportiva dá.

      Procure se informar indo no http://www.portalbigtrails.com.br

      Lá você vai encontrar pessoas de todas as idades. Do jovem de 20 e poucos anos até o veterano de 70 anos, andando de motos juntos e um espera o outro.

  14. Ola Joao! Acabei de tirar a minha CNH de moto, e queria usar para trabalho/faculdade.
    Como vai ser a minha primeira moto, as usadas mais baratas que eu achei em Bauru foram Dafra Riva 2013 por R$4.000, e Dafra Apache 2014 por R$4.500.
    Ambas parecem bem conservadas pelas fotos. (Ainda hei de ve-las essa semana e verifica-las com suas dicas).

    Em relacao a estilo, gostei mais da Apache por ser mais “esportiva”.
    Em relacao a conforto, dizem que Riva tem uma postura mais ereta e confortavel. (mas como eu iria a trabalho/faculdade, nao ficaria tanto tempo na moto)
    Em relacao a pecas, dizem que Riva eh mais facil e barato de achar.

    Gostaria de saber a sua opiniao sobre essas duas motos. em relacao a:
    – consumo (dizem que Apache faz mais km/L)
    – se o preco esta razoavel (pela tabela FIPE, Riva 2013 esta R$3.996 e Apache 2014 esta R$4.910)
    – custo de manutencao e pecas (pretendo andar no maximo 1 ano e meio ate terminar a faculdade e depois vender novamente)

    Valeu!

    • A Apache é a melhor moto das duas. Esta foi a primeira moto que presta a ser lançada pela Dafra. Ela é montada aqui no Brasil a partir de peças da ïndia. Na Índia a Apache 160 é uma das motos mais vendidas. A Apache se adaptou bem ao Brasil, é econömica, não dá galho, resistente, tem desempenho até acima das 150 quando foi lançada. Infelizmente ela não vende muito e por isso não tem muitas peças alternativas. Não conheço o mercado de peças dessa moto pois ela não é tão comum. Recomendo ir em http://www.motonline.com.br e entrar na comunidade de donos da Apache.

      A Riva é mais nova porém tem uma proposta de ser barata, econömica. O desempenho é inferior. Em relação a desastrosa Speed 150 (a pior moto da história do Brasil) a Riva é um avanço enorme. Ela é mais bonita, bem equipada e honesta. Ainda é cedo para saber se é resistente.

      Eu iria de Apache.

  15. Olá João, blz?
    Me chamo Sergio, sou do Rio de Janeiro, mas moro em Angra dos Reis há 10 anos.
    Amigo, tenho visto os posts neste canal, acho que vc pode me ajudar muito!!
    Amigo, minha ultima moto foi uma Honda NC 700 2014, adorei a moto, confortavel, economica e me atendia muito bem! Só que agora estou procurando uma 4 cilindros, algo mais agressivo, estou em duvida das seguintes:
    Kawa Z 800, Suzuki GSR 750, Honda CB 650 e por ultimo a XJ6, nesta sequencia. Li todas as fichas tecnicas e entrei em alguns foruns tb, vi que a GSR não lançou mais em 2017, dentre todas a XJ6 é a mais acessivel devido estar no mercado a um bom tempo, mas como coloquei na sequencia, seria a ultima a pegar, não desfazendo da moto, andei nela e gostei muito, mas é a que tem menos potencia dentre as demais…
    Amigo, com sua experiencia, hoje com tantas motos no mercado, qual seria sua sugestão?
    Como lhe falei, seria minha primeira moto 4cc.
    Abs amigo e sucesso

    • Dessas 4 motos aí a melhor, disparado, é a GSR 750 da Suzuki. Ela é a GSX-R naked.
      Ela está muito barata e por isso mesmo é uma excelente relação custo/benefício.
      Na minha ordem seria A suzuki, depois a CB 650 e por último empatadas a XJ6 e a Z800. A Z800 é um mico. Ela é mais pesada que a Z1000

  16. Boa noite João td bem?
    Estou com uma dúvida e gostaria de sua ajuda.
    Pretendo comprar uma moto e já encontrei 2 modelos que me encantaram:
    -Uma YAMAHA FZ6 S 2009
    -Uma SUZUKI GSX650 F 2013
    As 2 estando muito bem conservadas, documentação em dia, claro.
    A moto será para lazer, viagens fds com a esposa.
    Qual seria a melhor escolha?
    Desde já agradeço

    • Douglas, não posso responder a sua pergunta de forma isenta simplesmente porque eu acho a Fazer 600 uma moto espetacular. Ela é a única moto capaz de enfrentar a venerável Hornet 600 da Honda. Acho a Fazer mais bonita, mais fácil de pilotar, mais exclusiva.
      Do ponto de vista emocional, para mim, a Fazer é melhor.
      Do ponto de vista racional, a Suzuki GSX 650 F é melhor pois é uma moto mais nova, com maior facilidade de peças e assistência técnica. A GSX 650F é a Bandit carenada. Não é tão radical quanto a GSX-R 650 porém anda muito.

      • Boa noite João.

        Fui ver as 2 e experimentar, e sinceramente gostei das 2 motos.
        Mas não tive dúvidas, escolhi a FZ6S, Mesmo a Suzuki sendo mais nova, simplesmente me encantei com a FZ6S.
        Já bati o martelo!!!

      • Parabens ! Lembre-se de postar umas fotos da bela máquina para comemorarmos juntos a sua conquista! Obrigado por compartilhar conosco.

      • Com certeza postarei!
        Se tudo der certo amanhã estarei indo buscar!
        Abraços e obrigado pelas dicas

  17. Ola João estou pensando em comprar um suzuki hayabusa 2009, piloto já faz alguns anos mas a moto de maior cc que pilotei foi uma cb 500 voce recomenda a compra e voce acha que terei algum problema pra pilotar a busa pelo fato de ela ser uma moto de maior cc e mais pesada e que principalmente anda muito?

    • Alessandro, detesto ser o desmancha prazer mas a Hayabusa não é uma moto muito viável. Apesar de ser a moto mais rápida fabricada em série (existem controvérsias depois da HR2 da Kawa) ela não é a melhor para fazer curvas nem é a mais confortável. Hayabusa é moto ostentação. Seus donos tem grupos extremamente seletos.
      Por outro lado, como são motos que acabam sendo pouco usadas, um espécime 2009 está praticamente novo.
      Tive chance de pilotar uma há alguns anos e de fato a moto não perdoa erros. Ela acelera demais e a frente é muito ágil. Quando mergulha na curva o piloto tem que ter braço.
      Como você já teve uma CB500 está numa situação melhor do que a maioria dos pilotos que compram a Hayabusa. Mesmo assim, recomendo fazer um curso de pilotagem esportiva e procure desde já uma autódromo pois só num autódromo você vai conseguir auferir os benefícios que essa fantástica moto proporciona.
      Conta para nós.

  18. olá bom dia,

    preciso de uma ajudinha…. ainda não tenho experiencia em andar de moto irei começar a auto escola ainda, mas já venho pesquisando algumas motos para quando estiver com a carteira A eu comprar. Em minhas pesquisas estão a NXR BROS 150 ou 160, a XRE 300, a XTZ 150 e a XT lander 250…como eu uso meu carro só pra trajeto de casa para o trabalho e depois para a faculdade e vice versa e futuramente com a moto desbravar algumas pequenas viagens até as cidades vizinhas usaria a moto para esse proposito, assim tendo mais economia no meu bolso. Mas preciso saber se eu pular direto para a XRE que é uma moto para meu porte pois eu sou alto e não gostei muito das CS’s é uma boa alternativa além do mais que eu não tenho muita pericia ainda com motos? Sei andar direitinho, já andei em algumas mais nada além daquilo que eu sabia. Portanto levando em conta esses aspectos qual das motos citadas poderia melhor me atender em consideração ao meu caso?

    • Como vai ser a sua primeira moto eu recomendo que mantenha a cilindrada entre 150/160cc pois sai muito mais barato e você fica com menos “dó” da moto, arrisca mais e assim pega a manha da pilotagem mais rapidamente.

      Tenha em mente que o curso da auto-escola não vai ensinar você a pilotar. Esse curso, mal e porcamente, vai ensinar você a passar no teste do DETRAN. Recomendo que treine MAIS, muito mais do que os treinos da autoescola. Peça uma moto empresta de um amigo, alugue, ou … compre a moto antes de tirar a CNH e vá treinando nela mesma.

      A XRE 300 não deve ser comprada hoje em dia. Existem fortes rumores de que ela sairá de linha e isso significará uma grande desvalorização da moto que você comprar. Se a ideia é ter uma moto na categoria de 300cc, talvez uma boa ideia seja uma Ténéré 250.

      A XRE 300 tem muitos relatos de ruptura do cabeçote. Isso pode ser um problemão se acontecer com a sua moto.

      Entre as motos que você citou eu ficaria com a Bros 160, a Crosser 150 ou mesmo uma Bros 150 com freio a disco. Se a grana estiver mais fácil, tente uma Lander 250. Se a grana estiver sobrando mesmo, uma Ténéré 250.

      Para primeira moto não precisa mais que isso.

      Lembre-se de praticar a pilotagem ok ?

  19. Boa noite, adorei as dicas e os comentário João, porem, ainda resta á duvida em adquirir uma Horizon 250, estou tirando carteira de moto, . Quero muito uma horizon 250, porém usaria para trabalhar e sair final de semana, porém a duvida pertinente, se é recomendável para lugares urbanos com ladeiras, e buracos no asfalto e para uso de iniciantes ?

    • Nemele é menino ou menina ?

      A Horizon 250 da Dafra é uma boa moto e pode sim ser usada no trânsito urbano. Por ser uma 250cc ela encara melhor as ladeiras e subidas.

      Quanto a buraqueira, toda moto não-trail sofre com a buraqueira. Não tem jeito. O melhor que se faz é ficar esperto na hora de pilotar e evitar cair em buracos.

      Como iniciante, você terá alguma dificuldade no início. Encare a dificuldade, vá em frente, treine bastante, aproveite espaços livres, faça o curso de pilotagem gratuito nas escolas de pilotagem da Honda e de outros fabricantes de moto.

      As melhores motos para iniciantes são as 125/150 usadas. Mesmo assim, a Dafra Horizon 250cc é uma boa alternativa do ponto de vista técnico. Ela é baixinha e fácil de pilotar. Isso tudo traz segurança para quem está começando.

      Recomendo comprar uma moto usada ok ?

  20. Olá João, tudo bem?

    Como você sabe as scooter vem ganhando mercado cada vez mais, por isso acabei adquirindo uma, citycom 300i, pois queria uma moto que se enquadrava no trabalho do dia dia e até em uma possível viagem..

    Qual sua opinião sobre a moto??

    • Quando pedir opinião peça antes de comprar ok ? Pedir depois é estressante. Imagina se eu falo mal da moto que você comprou ?

      Por acaso a Citycom 300i é uma excelente scooter. Se você a comprar usado é mais negócio ainda.

  21. Boa tarde,
    Quero comprar uma burgman usada. Nunca tive moto, tirei minha CNH há 2 anos e nunca mais pilotei uma moto. Não entendo nada e gostaria de algumas dicas do que avaliar quando for comprar. Li seu post acima, mas me senti ainda mais leiga. Se puder me ajudar com algumas orientações…
    Meu interesse é em uma burgman Suzuki, ou Honda Lead.

    • Burgman e Lead são excelentes scooters. São fáceis de pilotar, são confortáveis, baratos, econömicos, não dão defeito. O Burgman é um pouco mais potente e por isso é melhor. Ainda assim, o Lead é uma excelente alternativa. Uma coisa que você tem que ter em mente é que esses scooters tem rodas pequenas. Isso os torna mais sensíveis a buracos. Se na sua cidade o asfalto é bem cuidado, não há problema algum. Se tem muita buraqueira, talvez seja uma boa ideia pesquisar um Crypton ou uma Biz.
      Para comprar um usado, não tem muito mistério além das dicas que repassei. A parte dos documentos é absolutamente trivial e muito importante. Se a documentação não estiver 100%, esqueça. Procure outro. Tá em dúvida se a documentação tá em dia ? Enão procure outro.

  22. João e ai tudo bem, me de uma dica, encontrei uma moto GSx 650f 2011 para comprar o valor esta abaixo da fipe , tenho que me preocupar quanto a isto, o que devo ter atenção na compra pois não conheço mecânico quem possa ir testar . li as dicas que passou para comprar uma moto..no que mais devo perceber…obrigado primeira moto de alta…um pouco em duvida

    • A GSX 650F é uma Bandit carenada. Isso significa que é uma ótima moto, tão boa quanto uma Bandit e ainda por cima com um tiquinho a mais de conforto. O preço abaixo da tabela FIPE é normal. Motos dessa categoria desvalorizam muito durante os dois primeiros anos e na hora do sufoco é normal ofertas um pouco abaixo da FIPE mesmo porque esse preço da tabela é uma média nacional e é comum algumas cidades terem preços médios mais baixos.
      Na categoria das 600cc a GSX 650F é uma excelente opção porque ela é mais barata e não é lá muito radical como as R6, ZX6, CBR600RR ou mesmo a GSXR 600R da própria Suzuki. A quilometragem deve ser baixa e essa moto tem grandes chances de ser uma moto de coxinha, as melhores para serem compradas usadas.

  23. Joao, dicas de moto pra iniciante, Honda, Suzuki, Yamaha, moto mais pra trabalho na semana, e lazer nos fds, qual melhor custo benefício?

    • Leonardo, para uso no dia-a-dia e passeios de fins de semana, as 125/150 da Honda, Yamaha e Suzuki são as melhores opções. Dentre essas alternativas, qual é a melhor ? Francamente, não existe uma moto com uma vantagem definitiva sobre as outras. Embora a CG 160 Titan ainda seja a melhor moto, ela também é a mais cara. As Suzuki Yes são ótimas pois vem muito bem equipadas e são mais baratas e tudo que você tem que decidir é se o visual das Suzuki lhe agrada pois são as que estão mais “antigas”, digamos assim. Mecanicamente não tem muita diferença. Na dúvida, compre a que lhe dá mais tesão. Recomendo comprar usada pois sai muito mais barato.

  24. João boa noite! Meu caso é outro. Honda NX 400. Poderia me dar uma dica, ou sabe de uma que valha a pena comprá-la? Tudo que puder acrescentar será útil. Muito obrigado…
    Ricardo

    • Veja só. A NX 400 Falcon é uma moto que foi lançada em 2000 aqui no Brasil. Na época ela era aderente a primeira fase de combate a emissões e por causa disso, teve o motor amansado. O motor da NX 350 Sahara aumentou a cilindrada e mesmo assim tinha uma potência menor.
      A Falcon é uma boa moto, honesta, confortável. Saiu de linha em 2008 e depois voltou numa versão com injeção eletrönica chamada NX 400i e é ainda mais fraca que a Falcon Carburada. Justamente para atender a outra fase do programa de combate a emissões. Ou seja, a Falcon 0km que você compra em 2017 é mais fraca que a NX 350 Sahara que saiu de linha há quase 20 anos.

      A suspensão é muito macia demais e o cabeçote RFVC é complicado de manter. Vira uma loteria. Tem gente que tem a moto a vida toda e não tem problema. Alguns infelizes proprietários gastam todo dinheiro do mundo e não conseguem estabilizar (consertar definitivamente) o cabeçote.

      Eu não compraria uma Falcon.

      Pelo preço muito parecido você compra uma XT600 ou mesmo uma XT 660 que são motos com propostas semelhantes e muito mais potentes, mais resistente e até mais legais.

  25. João, estou em um dilema e queria saber se pode me ajudar, tenho uma hornet 2013, comprada 0km, estou muito satisfeito com ela, nada a reclamar, mas agora um colega meu quer troca de moto comigo, ele nunca teve moto e comprou logo uma R1 2005, a moto dele tem procedência e está bem conservada, sempre fui amante de motos, e R1 sempre foi minha paixão, minha dúvida é mais relativa ao ano da moto, as duas tem o mesmo preço, não sei o que fazer, ficar com a razão da hornet ou sucumbir a paixão da R1, uso minha moto para viagens, sei de todo o desconforto e brutalidade da moto, mas meu medo se resume mais ao ano, não sei mais o que pensar, agradeço qualquer opinião e ajuda, obrigado.

    • Mark, é o seguinte. Mais importante que o ano da moto é o estado de conservação. No caso da R1 em particular isso é muito forte. Tem R1 2017 (observe que estamos com 18 dias de 2017 apenas) que já foi abusada e esculhambada com cortes de giros e amaciamento inadequado. Tem R1 de 2005 cujo dono era coxinha que só usava para ir no ponto de encontro ostentar. O que quero dizer é que não se preocupe com o ano. Foque na lista de coisas que verifiquei e considere a procedência da moto. Você afiram que é de um colega, que você sabe onde mora, sabe o nome dos familiares dele, sabe onde ele trabalha e tal … ou seja. Em caso de você ter comprado um mico, vai lá e resolve com o cara. Se você tem dúvida quanto ao estado mecânico da moto leve-a a um mecânico de confiança e peça para ele fazer o checklist acima.
      Uma coisa que você tem que ter em mente é que o desempenho superior da R1 em relação a excelente Hornet só vai aparecer em situações extremas. Isso significa que você vai ter que acelerar muito, fazer muita curva arrastando pedaleira para que a R1 mostre a vantagem que tem sobre a Hornet. Do ponto de vista de desempenho. Do ponto de vista de ostentação, não há requerimento de pilotagem esportiva.

      • João sou dono de uma gs 500 08 e gostei do seu canal, sobre a Hornet e R1, foi muito boa a sua visão e não deixa dúvida na escolha. Hoje a minha motoca está legal mais tive que gastar um bocado viu, o motor estava macio mais vazamento tinha nas bengalas as duas, tampa do cabeçote, não tinha para-lama traseiro só um treco segurando a placa ( uso rodovias ) quando vi foi paixão cheguei a me arrepender até 6 meses depois, mais hoje estou contente e não tem valor e não faço negocio por outra maior tão cedo. E se algum dia for comprar alguma motoca usada já sei onde vir buscar dicas para não passar tudo outra vez.

      • Lamento saber que a sua GS 500 deu trabalho. Felizmente, apesar do aborrecimento, era coisa simples. Retentor de bengala é peça de desgaste hoje em dia. A peça até é barata de trocar (se achar, conta para nós se teve dificuldade de achar as peças). O problema é a mão-de-obra. Dá um trabalho danado trocar retentor de bengala.

  26. ola joao !!! sou um amante de moto… quero pegar uma acima de 600 cc usada estou em duvida cruel pois sou leigo sobre essas moto de alta cilindrada.
    to de olho numa :SUZUKI GSX 650 F ,SUZUKI GSX 750 F 2006/2007, KAWASAKI ER-6N 2010/2010 …. qual vc me sugere ? pois procuro tambem preço e beneficio … quero uma acima de 600 cc mas que nao me de dor de cabeça com manutençao!!

    Qual vc me aconselha???

    • Dessas 3 que você citou aí , pela ordem da melhor para a menos melhor (são todas ótimas)
      Suzuki GSX 650F
      Kawasaki ER6-N
      Gsx F 750 F (a Mönica).

      Eu gosto muito da 650F que é basicamente a Bandit carenada. É uma moto barata, muito boa, não dá galho e é bonita.
      A Kawa é a Ninja 650 pelada com um motor de 2 cilindros que é realmente muito fácil. Para iniciantes na cilindrada, é a moto mais recomendável porque o motor perdoa muito.
      A GSX 750 F é chamada de “Mónica” porque os faróis dela parecem os dentes da personagem das histórias em quadrinhos. É a moto mais “datada” dessas 3 possibilidades aí que você mencionou. Comparada com outras motos de 750cc ela é considerada mansa mas para quem vem de moto menor isso não faz diferença porque sobra moto.

  27. Ola João bom dia. Dicas muito valiosas para quem não tem experiencia em comprar motos usadas. Estou em uma sinuca de bico onde tenho 3 motos para escolher. 1 primeira é uma Vstrom 650 2011 com 70000 kms rodados que parece estar muito bem cuidada, com 3 baús para viagem, e tudo certinho, motor sequinho, troca de oleos e filtros a cada 3.000, etc. A segunda é uma BMW G 650 GS 2013 com 19.000 kms, que achei pequena para os meus 1,85 e 110 kg, e apesar de estar com cara de zero o dono dela não está com ela nem 40 dias e ta querendo já vender, a terceira e ultima é uma Bandit 2009 com 30.000kms que vem com um Baú e ta muito bem conservada, mas tenho pouca experiencia com motos, e acho que não seria prudente uma moto desse porte pra mariheiro de primeira viagem né? ou tudo depende da prudencia do motoqueiro.?
    Enfim, na sua opiniao qual seria mais vantagem pegar? a BMW (que tem muitas criticas na internet, e uma infinidade de proprietarios anunciando a venda na OLX? A Vstrom que apesar de estar bem rodada, é uma moto que todos elogiam muito e dizem que se bem cuidada essa KM não é problema? ou a Bandit que uma moto robusta e tem muitos admiradores onde o ponto negativo é só preço de seguro e a potencia que pode ser um problema para um motoqueiro inesperiente?
    Se puder me dar um norte ficarei muito grato.
    Obrigado.
    Claudinei

    • Você não especifica se a Bandit é 600/650 ou 1200/1250. De qualquer forma, é uma moto muito boa, fácil de pilotar mas um tanto coxinha. Não é uma moto tão versátil para viagens quanto a V-strom 650.
      De fato, 70 mil km’s numa V-strom é nada. Percorra a check list e não terá problemas. Das 3 que você cogitou eu iria de V-strom sem hesitar. Observe que a versão 2011 está defasada, isso pode ser usado para ganhar um bom desconto.
      A única vantagem da G650 GS sobre a Suzuki é que ela tem ABS. Mesmo assim, não vale a pena. A G 650 GS vibra muito, é muito bronqueira e as peças são mais caras que as da irmã mais velha F800 GS.
      Por falar nisso, você deve cogitar uma F800gs pois usada ela não passa de 29 mil reais.

    • Quanto ao fato de ser a primeira moto, não se preocupe. O que você tem que fazer é praticar mais em lugares seguros. Em seguida, faça um curso de pilotagem off-road com a V-strom. Se me permite, vá em http://www.portalbigtrails.com.br e se informe. O curso é barato e muda a sua concepcção de motociclismo.

  28. Passando para parabenizá-lo pelo site e sua prestimosa atenção em responder cada pergunta/questionamento. Isso é característica de quem ama o que faz e preza pelo bom atendimento.
    Estou prestes a comprar uma Dafra Horizon 250c e tenho evitado motos de maior cc por conta de que minha intenção é uso na cidade e, com mais frequencia em passeios/estrada/asfalto. Sou muito limitado no conhecimento do assunto. Tenho resistido a compra de uma shadow 600c (por ex.) por acreditar que terei dificuldades de condução (meu peso: 65k e não pretendo carregar a moto rsrsrs). Como leigo no assunto vejo a Dafra se “enquadrar” melhor no meu perfil. Por favor, me fale sobre a moto e se vale a pena o investimento e, se possível, me dê opções considerando que busco uma moto custom. Obrigado.

    • Custom não é muito a minha praia. Apesar de achar as motos custom muito bonitas, de um modo geral elas tem desempenho inferior a outras motos que tenham o mesmo preço/cilindrada. Mas isso tem a ver com gosto. Se você gosta, vai fundo que é raso.
      Quanto as alternativas aí: uma Dafra Horizon 250cc ou uma Honda Shadow 600cc antiga, francamente, eu iria de Honda. A Shadow 600 é uma moto muito boa e que deixou a sua marca. É resistente, não dá galho e a manutenção é barata, considerando que é uma moto de 600cc. Existem peças de diversos fabricantes.
      A Shadow 600cc saiu de linha e isso desvalorizou a moto. Mais uma oportunidade de comprar uma moto maior por um preço mais em conta.

  29. Bom dia, Joao! Esses motores 125, 150… Podem durar quantos KM, se a manutenção estiver em dia?
    Abraços.

    • Um motor de 125/150cc, se bem cuidado, vai durar 100 mil km facilmente. Ainda por cima, a retífica é relativamente barata. Por algo perto de 500 reais você faz a parte de cima inteira (cilindro, pistão, anéis e cabeçote). Ou seja, é realmente muito barato de manter. O mais provável é que a moto sofra um tombo ou coisa parecida antes do motor apresentar o fim da vida.

  30. Bom Dia João,
    Tenho uma NXR Bros 2012 ESD. Minha primeira moto, estamos quase fazendo 1 ano juntos. Gostaria de trocar por um modelo mais potente, pois tenho intenção de fazer viagens com a moto, passeios nos fds para cidadezinhas próximas. Estive um tempo de olho na Fazer, CB300 e na XRE, até que conheci a GS500 e estou encantado pela moto. Mas fico com receio por ser um salto grande de mais de 150cc para 500cc e quase 50cv. Qual sua opinião como alguém mais experiente? Eu me vejo bem responsável na direção, não fico arriscando ultrapassagens nem abusando de corredores. Meu uso com a moto seria para trabalho, faculdade, passeios e começar a fazer algumas viagens no fds. Você me recomendaria esta moto? Se sim, o que devo me atentar na hora de comprar a GS? Algum item além destes aqui que eu deveria me atentar? Eu aprendi bastante com a Bros, manutenção, trocas e reposição de óleo, ela até sofreu ou pouquinho até eu aprender tudo direito hahaha, mas eai, qual sua opinião? Compro a GS500 (entre 2002 e 2009) ou deveria passar numa cilindrada intermediária?

    • Caro João Paulo. Pelo que você relata já está na hora de fazer um upgrade de cilindrada. Pode ir sim para a GS 500 que é uma excelente moto. Ela era a principal rival da Honda CB500 antiga (de 1996 a 2005). É uma moto fácil de pilotar, bem confortável e muito boa. Você vai estranhar sim a moto mais pesada e mais potente portanto tem que praticar bastante até se familiarizar com as reações da nova moto. Recomendo fazer um curso de pilotagem de verdade. Algumas revendas da Honda dão cursos gratuitos. Lembre-se, os cursos de auto-escola não ensinam a pilotar. Mal e porcamente ensinam a passar no exame do Detran.
      Quanto a manutenção da GS 500, é bem tranquila. As peças de desgaste são fáceis de achar (óleo de motor, filtro de motor, pastilhas de freio, transmissão). Se precisar de peças, você pode procurar por Suzuki Parts na General Osório em São Paulo. Lá tem mais disponibilidade de peças do que nas próprias revendas Suzuki.

  31. Olá joão tudo bom? Achei seu site bastante interessante e extremamente útil para mim, que em breve pretende comprar uma moto. Mas reconheço que sou um pouco leigo quando o assunto é moto e vim aqui carecidamente pedir sua ajuda, para eu efetivar uma compra que não me traga uma enxurradas de transtornos futuramente.
    Vamos lá, tirei minha habilitação faz um ano e meio, e vim namorando à ideia de comprar uma moto semi nova já faz um bom tempo. Nunca tive uma moto, aprendi a pilotar com à do meu primo alguns anos atrás, que era uma fan 150. Quando tenho oportunidades pego moto dos meus colegas para dar uma aquecida no motor, literalmente… Posso dizer que sei o básico, não tenho uma experiência robusta quando o assunto é moto. Pois bem, sinto um desejo sútil de comprar uma cb 300 joão, acho aparentemente o máximo essa moto, mas em contra partida me bate uma sensação que posso estar me precipitando em comprar uma moto dessa para mim, também essa sensação pode ser alimentada por vários colegas dizendo que não é uma boa escolha. Sei lá, fica uma confusão interminável. Por isso vim recorrer a sua pessoa, para poder ajudar esse jovem de 22 anos que tem um sonho de comprar a sua própria moto. Me diz aí joão quais motos você me indicaria para eu comprar, que caberia perfeitamente no meu perfil !
    Espero ansiosamente sua resposta.

    • Gabriel, a compra de uma moto tem dois fatores predominantes. O fator emocional e o fator racional.

      Pelo fator emocional, você tem que comprar a moto que faz o seu coração bater mais rápido, a moto que lhe dá mais tesão. Nesse caso, a moto é a CB300.

      No fator racional, a melhor coisa é comprar uma moto 125/150 usada em bom estado. Compre de quem teve a mesma ideia que você mas logo após ter comprado a moto, levou um tombo, ou mesmo um susto, e se arrependeu. Vende a moto barato logo em seguida. Portanto, recomendo uma moto menor, mais barata e mais fácil de vender e de manter durante o primeiro ano. Esse primeiro ano que você vai passar com a moto vai ajudá-lo a definir se você gosta mesmo de moto ou se foi um lance passageiro. Se depois de um ano com a moto pequena você continuar gostando, aí é a hora para fazer um upgrade para uma moto de 300cc ou quem sabe 500cc.

      Nesse primeiro ano você vai ter chance de praticar mais, dominar novas técnicas, fazer cursos de pilotagem de verdade. Os cursos de auto-escola (CFC) só ensinam a passar no exame do DETRAN. Pilotar moto é mais que isso.

      • Muito obrigado joão pela resposta, sanou algumas dúvidas que me perseguia. Vou seguir o caminho racional que é mais viável. Pois bem seguindo esse caminho queria por gentileza saber sua opinião quais motos de 125 ou 150 eu deveria comprar. Sei que você tem um vasto entendimento sobre motos, então queria muito saber qual a moto mais apropriada e que tem um bom histórico.

        Obg joão pela sua disponibilidade e atenção!

      • Para ser a primeira moto as alternativas são:
        – Honda 125/150 Fan/Titan – São resistentes, tem manutenção barata, sào economicas e tem valor de revenda bom. O problema é que são mais caras
        – Yamaha YBR 125 Factor ou Fazer 150 – Mesma situação das Hondas só que custam mais barato para comprar. Manutenção é marginalmente mais cara, praticamente a mesma coisa.
        – Suzuki Yes ou GSI 125/150 – São excelentes motos porém com valor de revenda muito baixo. São mais bem equipadas que as Honda e Yamaha. Esses equipamentos são ótimos e podem fazer a diferença. Acabam saindo bem mais em conta. Manutenção é um tiquinho mais difícil mas nào chega a ser um problema para encontrar peças. Pela diferença de preço, compensa. O design e o style estão um pouco ultrapassados.
        – Dafra Riva 150 – É a alternativa mais barata e de qualidade compatível, um tiquinho inferior. Tem mais problemas para encontrar peças. As revends Dafra abrem/fecham com mais frequência que as japonesas. A moto é boa e usada você compra realmente muito barato.
        – Apache 150 – Excelente moto que simplesmente nào pegou. O desempenho chega a ser superior e a qualidade é honesta.

        Evite de qualquer jeito : Yamazaki, Dafra Speed 150 ou Dafra Kansas 150. Kasinski seja que modelo for, Hao Bao, Daelin e Shineray 150

    • Olá João, primeiramente de dou meus parabéns pelo canal, não sei se você é mecânico, mas percebi que você conhece muito de moto e acredito que você ira me ajudar nas duvidas que eu tenho, pois estou com planos de comprar a minha tão sonhada moto esportiva usada, gosto de varias marcas de motos, mas confesso que sou fã da SUZUKI, e estou planejando comprar uma 4 cilindros, só que estou muito indeciso em qual moto pegar, primeiramente o meu sonho é a SRAD 1000 2007 K6 que é 178HP ou 2008 K7 que é 185HP, e vou fazer o possível pra realizar esse sonho, mas as pessoas falam que a melhor SRAD 1000 feita até hoje foi a 2007 a K6, dizem que ela é mais bruta das SRADS 1000 só não consigo entender o porquê, pois vemos pelas especificações da moto que a K6 é menos potente que a K7, você consegue me explicar o porquê? Mas se por acaso não der certo estou alisando entra a SRAD 750 2007 ou 2008, também estou analisando entre a Bandit 650 ou 1250 e a GSX 650 F ambas de 2009 em diante que é são as versões refrigeradas a água e já com injeção eletrônica, apesar do sonho da SRAD sei que com qualquer uma dessas estarei servido e muito bem não é? E assim que compra-la pretendo fazer uma revisão geral na moto, e voce sabe me dizer qual o valor de uma revisão geral numa 1000cc? Pretendo trocar o oleo das bengalas, o fluido de freio, filtros de ar e de oleo K&N, agua do radiador, mangueiras aeroquip, pastilhas de freio EBC HH, regulagem da injeção eletrônica e se der colocar uma ponteira akrapovic, sei que fazer tudo isso vai ficar um pouco caro, mas é preciso né, aguardo suas respostas fique com Deus e até mais…

      • Veja só
        A diferença de potencia entre 178hp para 185hp não é relevante para você. Essa diferença só vai aparecer numa situação muito próxima do limite de pilotagem da moto que francamente, está muito além do SEU limite como piloto. O que quero dizer é que vai sobrar moto, seja qual for dessas duas que você comprar.
        Eu particularmente acho as esportivas de 1000cc um exagero. A cilindrada ideal é de fato as 750cc para essa finalidade esportiva. Porém, verdade seja dita, as vezes aparecem negócios muito bons com 1000cc a preço de 750cc e as vezes até mais barato. Diante desse argumento, vale a pena sim comprar uma 1000cc.
        Outra coisa que você tem que se ligar é que no segmento de esportivas com as SRADS você encontra filés e encontra micos. O mais comum é o filé: o cara compra a moto esportiva, sonho da vida dele, dá uma volta, leva um susto/tombo e vende a moto por desgosto logo em seguida por um preço mais baixo e a moto praticamente 0km. Essas são os filés.
        E tem também os micos. É o cara que põe a moto no pau o tempo todo, detona o motor, corta giro, se exibe com a moto e deixa ela no bagaço. Chega a hora de vender e um otário sem sorte leva o mico pra casa. Mais do que nunca, preste atenção nas dicas da lista que postei.
        Quanto aos modelos de moto alternativos … A Suzuki Bandit 650 e GSX 650 F usam o mesmo motor, o confiável 4 cilindros. Muito bom, boas motos e devem ser bastante suficientes para o que você quer. Já a Bandit 1250 ou a GSX 1250 FA são motos a parte. A principal característica delas é que esse motor é algo espetacular em termos de torque. Assim, passe uma 5a marcha a 30km/h e acelere como se fora uma moto com cämbio automático até mais de 200km/h. O torcão desse motorzão é algo delicioso. Recomendo. A moto é meio pesada para manobras mas depois que começa a roda, fica uma pluma. É muito confortável e gostosa. Se puder, eu recomendo pegar uma delas.

        Quanto as acessórios, tome cuidado. A sua lista é a típica lista dos coxinhas. Será que vocÊ precisa mesmo desses acessórios todos ? Por exemplo, pastilha de freios EBC não é necessário. Existem pastilhas bem mais baratas tão eficazes e duráveis quanto. Escape Akrapovic … para que ? Fazer barulho ? Reflita. É isso mesmo que você quer ? Custa caro e existem outros acessórios mais úteis, a depender do uso que você vai fazer da moto. Por exemplo, as 1250 são espetaculares para longas viagens. De repente um par de baús laterais seja mais interessante. Ou um parabrisa para a Bandit …

        As outras coisas estão certas. Quando a gente compra uma moto usada tem que trocar todos os fluidos:
        – Freios
        – Refrigeração
        – Óleo de motor
        – Óleo das suspensões
        – Filtros de ar e de óleo
        – velas

        Isso garante que você está em dia e não custa muito caro, na maioria das motos e nas que você mencionou em específico.

        A troca dos dutos de freio por Aeroquip eu acho altamente recomendável. Aliás, se tiver que priorizar alguma coisa, troque os dutos primeiro e os filtros K&N depois. A diferença e o reflexo na segurança da moto são mais importantes nos aeroquips do que no resto. Verifique se é preciso mesmo por aeroquip ok ? ALguns dos modelos que você citou já vem com aeroquip, salvo engano meu.

  32. Boa noite, obrigado pelo post, será de grande ajuda.
    Pretendo pegar minha primeira moto muito em breve, e estou de olho numa intruder 125cc. Achei uma, 5.4k (com choro consigo por 5.2k a vista), 2014, 2.500km rodados. O que acha da oferta? Por ser minha primeira moto e eu não entender absolutamente nada ainda, devo me preocupar ou é uma moto que dá pra confiar?
    Outra coisa, farei negocio direto com o proprietario, como funciona essa transferencia? Qual a garantia que tenho após fazer a transferencia ou recebo algum documento primeiro? Estou meio perdido a respeito disso

    Novamente, muito obrigado pela ajuda. Pretendo ir ver a moto próximo final de semana.

    • Escolheu bem. A Intruder 125 é uma bela moto, uma japonesa legítima o que significa durabilidade, resistência, manutenção barata e economia. Para ser a primeira moto é uma das melhores escolhas. Ela vem equipada com partida elétrica, freios a disco, pedaleiras suspensas para o garupa, indicador de marchas. Isso facilita demais. Uma moto de 2014 com apenas 2500 km é mesmo um filé. Significa que rodou pouco mais de 1200 km por ano. Muitas dessas motos rodam essa distância num mês.
      Quanto a transferência você tem que fazer o seguinte:
      – Pegue o número da placa da moto e vá ao site do Detran do seu estado e consulte a situação da moto. Certifique-se que não tem multas, que o IPVA está pago e que a moto não tem alienação. Se algum desses ítens falhar, esclareça com o vendedor. IPVA e multas ele tem que pagar e é rápido. Se tiver alienação, fique esperto. A moto pode não ter sido quitada e aí é melhor pular fora.
      – Siga com o vendedor e a moto para um cartório. Nele você vai fazer o reconhecimento da sua firma e da dele (cada um paga a sua). Depois assinem e datem o recibo, façam a autenticação do documento. Pronto, a moto é sua. Transfira o dinheiro para a conta do vendedor.
      – De posse da moto, do recibo de transferência assinado/reconhecido firma, do CRLV 2016, vá ao Detran e dê entrada na transferência. Faça você mesmo, sai mais barato e mais rápido. Dispense despachantes.

      Depois que efetivar a transferência, faça uma troca de óleo do motor e anote a quilometragem. Isso irá garantir que a moto está com óleo bom. Não compensa economizar esse óleo ok ? A moto está com apenas 2500km porém tem 2 anos. O óleo certamente já venceu.

      • Olá, João. Obrigado pela resposta. Irei ver a moto até o final de semana 😀

        Falando com o vendedor, ele propos o seguinte:

        “Antes de irmos ao cartório, faremos um breve contrato e para isso necessito que me envie por email seu rg, cpf, cnh e comprovante de residencia, alem de profissao e estado civil, por favor.

        – na sequência nos encontraremos no tabelião onde será reconhecida a firma do DUT e assinado o contrato e mais a confirmação da transferência bancária
        – em seguida, os documentos serão entregues a você para seu despachante providenciar a transferência para seu nome junto ao detran
        – me disponibilizo a ir com a minha moto no local indicado para fazer o decalque necessário (vistoria)
        – com os documentos transferidos para seu nome, e fornecida uma cópia deles para mim, nos encontraremos novamente para a entrega da posse do veículo, mediante recibo”

        O que acha?

        Obrigado novamente.

      • Tudo certo
        Peça a ele ua minuta do contrato
        Não mande dados

      • Olá, João. Obrigado pela resposta. Irei ver a moto até o final de semana 😀

        Falando com o vendedor, ele propôs o seguinte:

        “Antes de irmos ao cartório, faremos um breve contrato e para isso necessito que me envie por email seu rg, cpf, cnh e comprovante de residencia, alem de profissao e estado civil, por favor.

        – na sequência nos encontraremos no tabelião onde será reconhecida a firma do DUT e assinado o contrato e mais a confirmação da transferência bancária
        – em seguida, os documentos serão entregues a você para seu despachante providenciar a transferência para seu nome junto ao detran
        – me disponibilizo a ir com a minha moto no local indicado para fazer o decalque necessário (vistoria)
        – com os documentos transferidos para seu nome, e fornecida uma cópia deles para mim, nos encontraremos novamente para a entrega da posse do veículo, mediante recibo”

        O que acha?

        Obrigado novamente.

      • Olá joao, obrigado pela resposta e desculpe enche-lo. Por ser a primeira vez nisso estou bastante inseguro rs.

        Mas se eu nao mandar os dados, como faria o contrato? Depois de olhar a minuta voce diz, ou nunca mandar os dados? Confesso que mandar todos esses dados me incomoda. Obrigado desde já pela paciencia.

      • Não há necessidade de você mandar os dados para obter uma minuta. O que importa ao examinar a minuta são as cláusulas. Os dados de quem vai assinar (as partes do contrato) podem ser facilmente adicionadas depois.

        Se as cláusulas forem razoáveis, não há problema algum. Porém, se ele obter seus dados e depois desistir do negócio ele pode fraudar alguma coisa usando seus dados. Por isso a cautela ok ? O seu incomodo em mandar os dados é totalmente justificado e até recomendado. Por isso que é bom dar uma olhada nas cláusulas antes. Se ele não mandar a minuta, é golpe. Pule fora.

  33. João bom dia, tudo bem ?

    Retorno hoje para agradecer por suas dicas e conselhos e digo também que realmente troquei a Yamaha Factor K 125 (ótima moto, porem para andar sem garupa e sem correria) Segui seus conselho e fui atrás de uma Tenere pesquisei e olhei algumas e me interessei por uma dei uma volta e apaixonei. (moto muito boa alta, forte, robusta e passa uma certa confiança a quem esta pilotando acredito que pela posição de pilotagem) enfim prestes a fechar a compra dela um amigo motoqueiro viu um acidente fatal acontecer e decidiu vender sua moto a preço de banana, ele tinha uma Bros 2014 com apenas 14 mil km rodados super conservador ele moto lindona, enfim acabei fechando com ele a compra desta brós. Hoje estou de Honda Bros 150. Primeiras impressões: Moto muito mais confortável que a Factor (Acredito que por serem de categorias diferentes), moto treme um pouco quando chega aos 120km/h, em contra partida ela se desenvolve bem na estrada mesmo com garupa to chegando a seus 125 km/h torcendo o cabo mas mantem uma velocidade de 110km/h tranquilo com garupa e para uma ultrapassagem sei que posso exigir um pouco mais dela, referente a combustível ainda não calculei quantos Km esta fazendo. Assim que eu fizer este calculo irei utilizar aquela sua planilha novamente e ver como esta. O grande ponto negativo dela é a questão do seguro dobrou o valor o que já passa a não ser interessante para mim, hoje a utilizo apenas com um rastreador e um alarme com sensor de presença.

    • Curioso. A Bros a 120km/h está muito perto do limite máximo de velocidade dela. Portanto, convém não abusar. A moto é excelente, é uma Honda, é muito econömica. O consumo vai ser só um pouquinho maior que o da Factor. O aumento do custo vai ser de manutenção e nem é muito alto.

      Parabens pelo excelente negócio. Oportunidades assim devem ser aproveitadas. Para você já um bom upgrade e em tempo você poderá migrar para uma moto de 250cc

  34. Olá João, sou apaixonado por motos, e estou prestes a realizar meu sonho, quero uma 1000cc mas estou em dúvida. Quero uma moto 2011/2012, gosto na Ninja ZX10R, Suzuki SRAD 1000 e da R1, no entanto a R1 deste ano tem um visual que não me atrai muito, a Ninja eu adoro, mas o valor dela é mais elevado em relação às outras duas, e a SRAD era minha última opção, mas pelo valor e pelo visual me atraiu bastante… Estou na dúvida me dá uma luz?! Hehehehe… Qual o conselho, quais os cuidados, enfim, o que devo avaliar para ter certeza que estou fazendo uma boa compra?

    • Comprar motos esportivas é sempre mais dificil. Existem oportunidades muito boas em compras de esportivas usadas. Se você achar uma moto de coxinha, compre-a na hora. É muito comum. A moto esportiva é uma moto que chama atenção e muito coxinha compra essas motos pelo visual, pelo impacto que causa, etc. Usam muito pouco a moto porque elas são mais difíceis de pilotar e são perigosas pois atingem velocidades muito altas. Um susto e o dono (pretenso piloto) desiste e coloca-a a venda.

      Siga a lista de itens a observar e compre a moto que mexer mais com seu coração. Qualquer uma dessas é bastante suficiente e certamente estará além do alcance do seu nível de pilotagem. Ou seja, sobra moto. Cada uma dessas motos cogitadas tem uma ou outra vantagem sobre as outras. Tem desvantagens também, no fim, elas se anulam e parte-se para o intangível. O tesão.

      • Olá João, primeiramente de dou meus parabéns pelo canal, não sei se você é mecânico, mas percebi que você conhece muito de moto e acredito que você ira me ajudar nas duvidas que eu tenho, pois estou com planos de comprar a minha tão sonhada moto esportiva usada, gosto de varias marcas de motos, mas confesso que sou fã da SUZUKI, e estou planejando comprar uma 4 cilindros, só que estou muito indeciso em qual moto pegar, primeiramente o meu sonho é a SRAD 1000 2007 K6 que é 178HP ou 2008 K7 que é 185HP, e vou fazer o possível pra realizar esse sonho, mas as pessoas falam que a melhor SRAD 1000 feita até hoje foi a 2007 a K6, dizem que ela é mais bruta das SRADS 1000 só não consigo entender o porquê, pois vemos pelas especificações da moto que a K6 é menos potente que a K7, você consegue me explicar o porquê? Mas se por acaso não der certo estou alisando entra a SRAD 750 2007 ou 2008, também estou analisando entre a Bandit 650 ou 1250 e a GSX 650 F ambas de 2009 em diante que é são as versões refrigeradas a água e já com injeção eletrônica, apesar do sonho da SRAD sei que com qualquer uma dessas estarei servido e muito bem não é? E assim que compra-la pretendo fazer uma revisão geral na moto, e voce sabe me dizer qual o valor de uma revisão geral numa 1000cc? Pretendo trocar o oleo das bengalas, o fluido de freio, filtros de ar e de oleo K&N, agua do radiador, mangueiras aeroquip, pastilhas de freio EBC HH, regulagem da injeção eletrônica e se der colocar uma ponteira akrapovic, sei que fazer tudo isso vai ficar um pouco caro, mas é preciso né, aguardo suas respostas fique com Deus e até mais…

      • Caro Leandro. Não sou tão familiarizado com essa geração de motos esportivas radicais. Minha praia é mais moto bigtrail off-road. Fique atento as “lendas”. Existem muitas lendas de que tal moto é a melhor da série ou coisa parecida. Francamente, uma diferença de 7 HPnuma moto que tem 178 é praticamente irrelevante e só vai aparecer numa situação muito próxima do limite de performance da moto. Provavelmente esse limite está acima do seu limite como piloto. O que quero dizer é que para utilizar plenamente uma moto super esportiva radical é preciso muito treinamento, muita prática, desenvolver e apurar as técnicas de pilotagem e fazer tudo isso num ambiente controlado como um autódromo. Isso significa que tanto faz se é a K6 ou K7. Compre a que lhe der mais tesão.
        Quando você coloca entre as possibilidade as Bandit, aí você coloca motos mais pacatas, mais civilizadas e de uso mais versátil. Todas as Bandits, sejam a ar/óleo, carburada, injetada ou refrigerada a ar são excelentes motos e com um preço muito bom pois desvalorizam muito. São resistente, econömicas (para a categoria), não dão galho. Peças podem ser um pouquinho complicadas de achar nos mercados locais fora da São Paulo Capital. Mesmo assim, valem a pena pois as peças de desgaste são comuns (filtros, freios, velas, correntes, etc). AS peças específicas é que dão um pouquinho mais de trabalho. Sempre é possível comprar via internet na SuziParts da General Osório em São Paulo. Os preços são compatíveis com outras motos da categoria.
        A GSX 650F é a moto que mais concilia a esportividade das SRAD com a utilidade das Naked Bandit. Do ponto de vista mecânico é a mesma moto que a Bandit 650, só que com carenagem. Excelente moto.
        A sua sugestão de revisão é boa. Entenda que uma coisa é revisar a moto e outra é aproveitar a revisão para colocar/trocar acessórios. Filtros, pastilhas, fluidos de bengala e de radiador além do óleo do motor e seu filtro devem ser trocados assim que você comprar a moto usada. A não ser que o dono anterior tenha as notas da revisão sendo feita há menos de 6 meses. Na dúvida, faça a revisão. Pela revisão básica, você vai gastar entre 350 a 500 reais de mão-de-obra fora as peças. Esses são valores aqui de Manguetown e podem ser diferentes na sua cidade.
        Dos acessórios que você cogita, recomendo muito o filtro K&N lavável e as mangueiras aeroquip. Fazem realmente muita diferença. Lembre-se que no radiador vai um fluido. Não é água ok? Quanto a ponteira Akrapovic, eu particularmente não acho que vale o custo altíssimo. Se você comprar uma ponteira em bom estado usada, fique a vontade. Ponteiras não dão esse desempenho todo que falam. Regulagem em mapa de injeção sim. E aí está a pegadinha. O cara troca a ponteira, remapeia a injeção e depois diz que foi a ponteira que proporcionou o ganho (pequeno) de desempenho. Se fizera o remapeamento da injeção sem trocar a ponteira teria um desempenho muito parecido. Ainda assim, se lhe dá tesão ter a ponteira, vai fundo que é raso. Tomara que não seja muito barulhenta 🙂

  35. o que vocês indicam comprar uma ninja 300 – 2014 com abs por 15.000,00 ou pegar a ninja 650r ABS – 2011 por 18.600,00

    • Vai de 650. É outra categoria e esse motor é uma delícia. Versátil, potente, torcudo, econömico, resistente. Equipa as seguintes motos
      a Ninja 650R
      A ER6N
      A Versys 650
      A Vulcan S 650

      Excelente

    • Obrigado pela atenção e por responder sobre as duvidas que te mandei, me ajudou bastante em relação as peças e a manutenção da moto, e assim que adquiri-la postarei aqui pra te falar como foi a revisão e a sensação de estar com a moto obrigado e fique com Deus

  36. Bom dia João. Primeiro gostaria de lhe parabenizar pelo blog, pois contém posts que ajudam a sanar dúvidas do dia a dia, e lendo aqui esse em específico acho que encontrei alguém que pode me ajudar com uma dúvida que vem me assolando nos últimos dias. Li TODOS os comentários desse post, e acredito que vc por experiência própria ou por ter amigos possa me dar a resposta que preciso. Possuo uma CBR 600RR 2004, linda moto, potente, barulhenta, enfim, aquilo que acredito eu ser o sonho de 90% das pessoas que gostam de moto, assim como “era” o meu. Comprei a moto a 6 meses na empolgação, pois era meu sonho e apareceu a oportunidade, não pensei 2 vezes, mas pouco tempo depois vi que a empolgação me levou pro mato. Se nesses 6 meses fiz 500 quilômetros com ela foi muito. Cheguei na conclusão de que não é para o meu caso ter uma moto dessas, pois ela é meio que exclusiva para fins de semana e exige asfalto, e de boa qualidade (coisa que aqui no Brasil ta meio difícil de ter), não tenho muito o costume de sair para longe nos fins de semana, pois não tenho muitos amigos que possuem motos, muito menos desse porte, então sozinho não tem muita graça. Resumindo, muito dinheiro parado!! Anunciei ela pra venda e logo me apareceu uma proposta “boa”, um cara quer me dar uma XT660R 2008 com 31000KM e voltar uma boa graninha. Nunca subi nessa moto, já tive trilheiras, (sempre amei moto e sempre tive, logo que casei fiquei uns 4 anos sem, mas agora nem a pau que fico só com carro) mas nunca andei nessa XT. Pesquisei bastante sobre ela na internet e não achei ninguém que me apresentasse um problema significativo dela, acredito ser uma boa moto. Porém a mesma não será para enfeitar a minha garagem, pretendo vendê-la também, pois vi o lançamento da MT-03 da YAMAHA e me apaixonei por ela, acredito que se enquadre melhor ao meu perfil de uso. Daí então a minha dúvida que não achei em lugar algum, a XT é uma boa moto para revenda? Qualidades ela tem, mas será fácil desovar ela? Na internet aqui na minha região não achei muitos anúncios, não sei se é porque vende fácil que nem da tempo de olhar ou é porque ninguém quer!! Estou bem tendencioso a fechar negócio, pois já desanimei com a CBR, (sonho realizado, já vi como é, pronto!) só me falta uma última opinião sobre esse quesito. Desculpa pelo mega texto, mas fico no aguardo pela sua resposta.
    Abraço!

    • Rafael
      O seu dilema é: moto é investimento? A resposta é: não. Comprar para revender a moto é sempre um risco. Você pode fazer um excelente negócio porém pode “encalhar”. A XT66 é uma moto boa para comércio mas não é tão boa como as motos menores. Qualquer moto que não seja 125/150cc vai demorar um pouco mais para vender. E quando vender, sendo usada, provavelmente vai ter outro rolo. Um cara com uma XRE vai querer dar a XRE e mais uma grana pela XT, pode apostar. Estou passando completamente ao largo da possibilidade de você ficar com a XT 2008, que é uma excelente moto, porém tem muita “personalidade”, algo peculiar, algo de pimenta que faz com que você ou ame-a ou a odeie.
      O seu relato da CBR600RR é clássico. A moto é mesmo excelente mas não é uma moto para o dia-a-dia ou mesmo para passeios. É uma moto para por na pista, brincar nos fins de semana de piloto. E dá um caldo muito bom nessa utilização.
      Voltando ao ponto: aceitar a XT ou não ? depende. Você tem pressa ? Não aceite. Pode esperar um pouco e fazer outro rolo numa outra moto de menor valor (mais fácil de converter em dinheiro), então vá em frente.

  37. João, antes de mais NADA PARABÉNS. Não sei sua profissão mas tu manja MUITO (PALMAS PARA VOCÊ) não é pagando pau não! Sendo realista!

    Enfim hoje tenho uma FACTOR K 125 cc 2012 com 32 mil km rodados, percorro todo santo dia 120 KM com garupa mais bau CHEIO rs (Sendo que pego a Ayrton Senna quaaase toda). Ela ta fazendo em média 34 KM/L. Ta legal ? ou beberrona ?

    Mas diante de todos seus comentários, gostaria de te fazer uma pergunta:

    Por qual moto deveria trocar ? pensando em economia, peças não muito cara e etc. Enfim teria alguma indicação ?

    OBS.: Ja tive uma CB 300, e sinceramente NÃO GOSTEI sei la moto pesada dificil de realizar curvas por ser 300 não achei que andava tanto. (Talvez este relato te ajude na Resposta).

    Desde ja muuuito obrigado pela possível resposta.

    Atte.,

    Luan Guimarães.

    • Luan, a sua 125, considerando que está levando garupa e baú, faz 34km/l tá excelente o consumo.
      Para fazer 120km a 34km/l qualquer moto maior vai consumir mais. Não tem mágica. Cavalo anda, cavalo come. No seu caso, eu recomendaria uma Ténéré 250. É uma moto bem econömica, resistente, não dá galho, é 250cc e é bem confortável. A posição de pilotagem é mais ereta o que vem bem a calhar na estrada. Ela é leve de pilotar. Dê uma olhada com carinho, veja se lhe agrada. Outra alternativa seria uma XRE300 mas você não gostou da CB300, que tem o mesmo motor, e existem rumores que a XRE300 vai sair de linha, como aconteceu com a CB300.
      Outras alternativas seriam a Fazer 250, a Dafra Next 250 ou mesmo a nova Twister 250. A Fazer 250 é uma moto muito parecida com a CB300, embora um pouco mais leve e muito mais resistente/econömica. A Dafra Next 250 é uma moto honesta mas não é uma japonesa e aí só vale a pena comprar usada em bom estado senão você vai pagar uma grana. A Twister 250 parece ser uma moto muito boa. A questão é a durabilidade dela. Até agora, os relatos são bons, a moto tá aguentando o tranco.
      Porque sugeri motos de 250cc? Porque é o próximo passo natural na sua evolução. Só que elas vão custar mais caro.
      Por exemplo, o combustível. Uma Factor que faz 120km por dia a 34km/l vai gastar 3,52 litros por dia, o que dá aqui em Manguetown um custo de R$ 13,41. Já uma 250cc vai fazer uns 28km/l no máximo, o que dá um custo em reais de R$ 16,28 ou seja, 21,4% mais alto no mínimo. Pode até ser mais. Se você no mês gastava algo perto de 300 reais de combustível, vai passar a gastar uns 360 reais.
      No meio do caminho tem as motos de 150cc. Elas são quase tão econömicas quanto as motos de 125cc. A CG 160 e a Fazer 150 podem facilmente fazer os mesmos 34km/l que você já conhece. Na verdade, na estrada é capaz da 150cc/160cc ser até mais econômica.

      Quanto ao peso para fazer curvas, sua queixa é normal. A moto maior pesa mais no guidão. A solução é mudar de estilo. Motos trail ou bigtrail são motos que tem a direção mais leve devido a geometria diferenciada da suspensão. Elas são muito mais fáceis de pilotar, são mais seguras e mais confortáveis. Elas fazem curvas mais facilmente. Só que no limite da curva de alta velocidade, elas são mais lentas que as motos street. Isso é um problema para você ? Se você for como a maioria absoluta dos pilotos de moto então não faz diferença. As vantagens da condução em velocidade normal são muito maiores do que essa pequena desvantagem em curvas de altíssima velocidade que só acontecem muito raramente na vida real e mesmo assim só quando o piloto está abusando da velocidade.
      Pense nisso. E quanto a planilha, manda para eu dar uma olhada.

      • Amigo João,

        Primeiramente obrigado pela prontidão na resposta.

        Quanto a Ténéré 250 já vi sim algumas pelas ruas e gostei dela de todas que citou sem duvidas vou de Ténéré. A XRE 300 já tive algumas oportunidades, de pilota-la e verdadeiramente não gostei (Talvez algo do psicológico, por saber que onde moro roubam muito). Enfim sei la não gostei muito desta.
        Fazer, Next, ambas são bonitas porem acredito que continuarei com meu problema: Garupa, Peso, Buraco = Direção Horrível, Buracos de SP bateeeee muitoooo a moto… Realmente acredito que a Ténéré sera uma boa escolha pelo fator de ser Alta, Robusta, e sinceramente não é destas que vemos em todo lugar (Igual minha factor hoje).
        A unica coisa que me preocupa um pouca é a questão Combustível, Manutenção, Seguro (Impossível ter moto por aqui e não ter seguro).

        Velocidade final, não me incomoda em nada afinal de contas NÃO sou piloto e dificilmente conseguiria tirar o maior proveito destas motos, ainda mais com garupa. Porem força já é interessante, mas sem duvidas de uma 125cc para um ténéré estarei me sentindo em uma Ferrari.

        Abaixo segue planilha:

        R$ “Duração em KM´s” Custo/km
        Valor atual da moto R$ 4.100,00
        Valor da moto ano que vem R$ 3.500,00 (Valor que me oferecem hoje nela)

        Custo de desvalorização R$ 600,00 0,019230769

        IPVA (2% do valor da moto) R$ 471,00 0,015096154

        Seguro R$ 2.028,00 (SEGURO SUHAI + RASTREADOR) 0,065

        Pneus R$ 240,00 (PIRELI, COMPREI A 1 MÊS, ACREDITO QUE RODE A KM A SEGUIR) 20.000,00 0,012

        óleo R$ 25,00 (YAMALUBE) 1.000,00 0,025

        combustível R$ 66,88

        transmissão R$ 82,00 (AINDA NÃO TROQUEI, PESQUISEI NO GOOGLE) 20.000,00 0,0041

        freios R$ 60,00 (AMBOS A LONA, COISA QUE NÃO ME AGRADA) 15.000,00 0,004

        KM/semana 600,00

        Consumo (km/l) 34,00

        Preço da gasolina /litro R$ 3,79 (A CADA 2 TANQUES NORMAIS / 1 TANQUE COM ADITIVADA)

        km anual 31.200,00
        Consumo anual 3.477,88 0,111470588

        Custo total por KM rodado R$ 0,2559
        Custo semanal R$ 153,54
        Custo mensal R$ 614,15
        Custo anual R$ 7.369,85

        Desde já obrigado pela ajuda João!

      • De fato o custo ficou alto mas é isso mesmo. Você roda muito. Imagine que dá 600 km por semana, ou 2400 km por mês. Isso dá 28.800 km por ano. Só de combustível dá mais de 3000 reais. Adicione o seguro (caro) e o custo foi lá para cima. Parece ser muito caro. Agora imagine quanto seria se fosse um carro ? Só de combustível, se for um carro popular, você iria gastar mais de 10 mil reais.

  38. Boa tarde,gostaria de sua opinião,estou a comprar uma moto,estou entre a f800gs usada ou a nova nc750,ovalor da bmw usado que estou vendo,da para comprar a nc750,o que você me recomendaria?vou usar 90% em estrada de asfalto.

    • Comprar moto 0km tem várias vantagens. É mais fácil, você tem a garantia, a moto não vai dar problema, você compra EXATAMENTE a moto que quer. A desvantagem é que a moto desvaloriza muito quando sai da loja. Se você pode pagar por isso, vai em frente.

      Para uso 90% no asfalto, a NC750x é uma excelente escolha. Tenha em mente que é uma moto “mansa”, cuja proposta é economia, conforto e facilidade de uso. Ë uma excelente moto, afinal é uma Honda. Muito econômica, tem um porta trecos no falso tanque que é mesmo uma beleza. Procure uma usada e vai economizar ainda mais. A NC750x é uma moto muito racional e sem pimenta.

      A F800 GS é outro planeta. É uma moto de desempenho superior e considerando isso, é bastante econômica. Não é tão confiável como as japonesas mas também é uma moto robusta. A vocação da F800GS é a aventura, estradas de terra, trilhas mais leves, passeios no deserto ou na areia de praia.

  39. joão,tenho uma Fazer 250 mas estou pensando em trocar numa cb 500x zerokm ou numa bmw gs650 2010 que está cinco mil a menos que a cb e com 14k rodados bem conservada.Poderia me dar uma opinião de qual pegar,custo benefício e se essa gs é boa e realmente vale a pena?

    • Caio, confesso logo. Eu sou meio off-road portanto eu tendo a gostar mais de BMW GS 650 2010 porque eu curto mais esse tipo de moto. A CB500x, supostamente, é uma moto “trail” mas na verdade é uma “crossover” com vocação para o trânsito urbano e estradas asfaltadas. A CB500x encara algumas estradas de terra mas não encara as trilhas que a G 650 GS encara.
      Se fosse optar pela “proposta” da moto, eu iria de BMW G 650 GS. Mas …
      Sempre tem um “mas”. E nesse caso é o fato de que a alternativa é uma Honda, ou seja, a qualidade é superior, a rede de assistência técnica é melhor, o preço é mais em conta, as alternativas de peças são mais frequentes e a CB500x é mesmo mais bonita. No caso específico, é até mais nova. Tudo isso é vantagem da CB500x sobre a BMDafra, ops .. sorry .. BMW.
      Como se não bastassem as vantagens da Honda sobre a BMW, existem os problemas da BMW G 650 GS. A G 650 GS não é tão popular quanto a BMW F800GS e por causa disso existem menos peças alternativas. Isso torna a substituição mais cara. Isso mesmo, o custo de manutença da G 650 GS é mais alto do que da F800GS, que é uma moto MUUUUUUUITO superior. Além disso, a G 650 GS é uma monocilindrica. A CB500x é bicilindrica e mais potente. E a CB500x é mais econömica. Caramba, são desvantagens sérias. Mesmo assim, eu prefiro a G 650 GS porque ela vai onde a CB500x não vai.

      Mas e para você ? Vale a pena ? Não sei. Qual o uso que você vai fazer da moto ?
      Dia-a-dia ?
      Pretende fazer off-road ?
      Pretende viajar em estradas aslfaltadas ?

  40. joão parabéns pelo post muito bom.
    cara tenho uma duvida a seguinte estou pra fechar negocio em uma yamaha r1 ano 2002, o cara disse pra mim que teve que fazer o motor dela recentimente fez a parte de cima e segundo ele tbm a parte de baixo uns 3 meses depois eis a duvida vale a pena eu comprar, eu posso ter problemas por ser uma moto grande e ja ter tido problemas no motor? eu sei que foi tudo feito pela concessionaria autorizada da yamaha e tem as notas e garantia mais mesmo assim tenho um pouco de medo. valeu!!!

    • Dúvida interessante.
      Qual é o melhor ? Comprar uma moto que foi restaurada e você sabe disso ou uma moto que não foi restaurada e pode estar a beira de um colapso ?
      A R1 não é uma moto simples tampouco barata. Comprar moto usada é mesmo uma arte e traz os riscos e a oportunidade ao mesmo tempo. O medo que você tem é justificável e ainda assim acho que é encarável diante dessas circunstâncias. Faça o checklist e procure ver o histórico da moto.
      Acredito que não terá problemas.

  41. Gostei da postagem e também li em outros lugares que a triumph daytona 955i era um mau negócio, porque não existem mais muitas peças no mercado… Será qe é verdade mesmo ou seria uma boa pegar uma moto dessas mesmo que um pouco antiga(06)?

    • Veja só. Uma moto de grande cilindrada com 10 anos de uso pode estar em perfeito estado de conservação. É pouco tempo e o desgaste normalmente é pequeno. Porém, se analisarmos que é uma moto com pouca venda no Brasil e que não foi importada oficialmente, pode crer que vai ter problemas de peças. Não conheço essa moto em específico. Procure se informar sobre como são as peças de desgaste (filtros, freios, cabos, pneus, rolamentos). Se forem padronizados, menos mal.

  42. João, muito feliz por encontrar esse seu post.. Estou ha quase 15 anos pilotando motos.. Sou apaixonado pelo ronco das 4 cilindros… Estou num dilema danado: sempre sonhei com as carenadas, a minha paixão R1… Uma Hornet cairia bem pró meu uso, mas não estaria totalmente satisfeito pois não estaria realizando o meu sonho, se é que me entende.. Pois bem a dúvida é a seguinte: uso a moto próximo de uns 15 km/dia, para ir pró trabalho e voltar para casa, as vezes ir na academia, coisa bem light… Tenho 1,80 de altura e porte físico de quem malha e se cuida.. Pois bem, eu suportaria a R 1 pra esse meu uso? To meio frustado com tudo q leio e q ouço. A R1 é tão insuportável assim pra esse tipo de uso urbano, ou da conciliar?? Lembrando q é a moto dos meus sonhos.. Tem q ser uma carenada e de preferência a R 1..

    • Moto não é comprada apenas com razão e racionalidade. Moto é tesão. Se você for analisar racionalmente, ninguem jamais compraria uma R1, exceto se fosse um aspirante a piloto ou piloto amador para correr em circuitos durante os fins de semana como esporte. Essa é a proposta da R1. Para você tirar todo o desempenho que essa moto espetacular é capaz de entregar, tem que levar para a pista. Ou ser um irresponsável e usar as estradas públicas. Esse é o enfoque racional. E ele não vale, como eu disse no começo.
      No seu caso, eu recomendo que compre sim a R1 e experimente-a. Conforto você não vai ter, facilidade de uso não vai ter, economia não vai ter. Quem se importa ? Tesão ? Bom aí vai ter muito. Compre, conte para nós o resultado.

  43. Amigo, estou com uma carta de crédito para pegar uma moto no valor de R$18.000, tinha uma falcon mas era muito pesada e alta para mim (63kg/1,67m), estava com uma twister mas achava muito fraca e batia depois as peças, sempre quis uma moto esportiva mas agora estou na dúvida de qual efetivamente pegar. :/
    Então estou na dúvida entre uma kawasaki ninja 650/2013 (19.500- a preferida mas disseram que desvaloriza muito é real?), ou uma ninjinha 300 2014(18.000 e ainda pelo consumo menor), uma xj6f 2011 (21000), ou CBR500R 2014 (20000), a GSx 650 f (2011- 22000).
    Meu uso será diário na cidade pois estou sem carro, e as vezes uma viagenzinha.. mas terei sempre garupa.
    Penso no consumo, e ainda queria um ronco bonito, mas nao me importo de ser 2 cilindros pois mudando o escap já resolvo isso! 😀
    O que sugere para mim, obrigada.

    • Você colocou quatro opçoes

    • Ninja 650 2013
    • Ninja 300 2014
    • XJ6F 2011
    • CBR500R
    • GSX650F
    • Fundamentalmente, para a sua altura e diante do que você mencionou de dificuldade, a melhor moto é a ninja 300.
      Pela oportunidade, as outras motos são outro planeta, muito mais moto. Todas as 3 alternativas restantes são interessantes e oferecem coisas muito parecidas.
      Sua preocupação com a desvalorização não se sustenta. As motos já sào usadas, portanto, já desvalorizaram. O que você tem que fazer agora é examinar as motos em detalhes, seguir a lista de verificações e sentir qual é a que lhe dá mais tesão. Moto não é 100% racional. Tem emoção aí. Dessas alternativas aí eu ficaria com a Ninja 650 2013.

      Tenha em mente que moto maior ( >= 500cc) tem custo de manutenção mais alto. As motos gastam pneus (igual para todo mundo), óleo (igual para todo mundo), velas, freios (igual para a maioria das motos), filtros (específicos), tração (que tem vasta oferta alternativa). Sendo assim, a recomendação para a Ninja se fortalece pois o custo de manutenção é praticamente igual ao das outras.

  44. Boa noite JoãoEurico!
    Tenho uma 600cc há algum tempo, estou pensando em subir de categoria e pegar uma 1000cc carenada. Estou na duvida de qual moto comprar (CBR1000RR, GSXR Srad1000, R1, ZX10R) ambas do ano 2008 a 2010 (devido ao preço na faixa dos R$35.000,00). No entanto vejo muitas pessoas dizendo que a R1 esquenta demais, a CBR1000 solta muita fumaça, a Srad1000 tem problemas no freio, e por ai vai, até que ponto isso é verdade? qual seria a melhor escolha? Obrigado.

    • Se você procurar fundo vai encontrar um defeito em qualquer modelo de motocicleta. Observe o seu relato: A R1 esquenta. Ora, isso é um inconveniente e não um defeito. A CBR1000 solta fumaça, isso é lenda. Obviamente, se o motor for abusado e estragado vai soltar fumaça mas soltar fumaça não é uma característica comum da CBR1000. Srad 1000 com problemas no freio, não existe. Se existir, é fácil de resolver.

      De todas as motos que você mencionou aí, no ano 2008, a R1 e a ZX10R se destacam por terem mais tecnologia embarcada e desempenho marginalmente superior. No fim, as diferenças entre essas motos são mínimas. Na pista, o piloto vai fazer mais diferença do que qualquer característica dessas motos. Compre a que estiver em melhor condição e que faça seu coração bater mais rápido.

  45. boa tarde.
    comprei uma hayabusa a uns 5 meses, a moto é ótima a principio, porem quando ando com ela por algumas horas tudo normal, mas quando desligo a moto e passa algumas horas umas 12 horas + ou – a moto começa muito lentamente a pingar óleo no chão, um dia eu coloquei um pote embaixo e no outro dia quando fui ver tinha no máximo meio ml no pote, ou seja, quase nada, mas fico curioso, isso seria um respiro? ou al algo errado com a moto? sendo que o nível do óleo não baixa, e a moto pode ficar dias parada q pinga muito pouco, eu nunca reparei mas as vezes deixo ela parada uma semana e quando vou pegar tem aquele pouco de óleo no chão, porem é uma quantidade muito baixa, eu sei q vou ter q leva em um mecânico pra ver isso, mas gostaria de sua opinião.
    obrigado

    • Vazamento de óleo, por menor que seja, não é normal. Não é para acontecer. Portanto, tem algum problema. O que você relata leva a crer que pode não ser óleo simplesmente mas alguma condensação de óleo + combustível. Ao mesmo tempo, se você afirma que o nível de óleo não baixa e a moto está funcionando a contento, talvez não seja o caso de mexer muito mas continuar investigando. Por onde exatamente o óleo vaza ? As vezes é um simples retentor que cansou. Se a moto é 0km, recomendo acionar a garantia.

  46. João, tive duas motos trail (Tornado e Falcon) e passei uns 10 anos sem moto e agora eu quero retornar ao mundo das 2 rodas. Testei algumas motos CB 500f e a ER6N, porém não consigo me acostumar com motos “baixinhas”, daí pensei na CB 500x e depois decidi pela NC 750x, pois o porta objetos é insuperável e o torque alto nas baixas rotações e a tocada mais tranquila da moto me arrebatou. Vou usar a moto na cidade e pequenas viagens, tipo Recife-Caruaru ou Recife-João Pessoa. Tenho 45 anos e a vontade de sair acelerando por aí, meio que passou. A dúvida é, fora a NC, por esse valor dela nova (32.000) vc aconselha outra moto, mesmo que um pouco usada? Obg.

    • Caro Gustavo.
      A NC750x é uma moto única no mercado. Ela é econômica, bonita, versátil e tem características de motor que praticamente nenhuma outra moto tem.
      Por 32 mil reais você tem uma oferta enorme de motos usadas. Motos usadas são excelentes pois não desvalorizam tanto. Tenho um amigo que só compra moto usada e com frequência ela vende a moto pelo mesmo preço que comprou, após um ou dois anos de uso. Ou seja, um excelente negócio. A oferta de motos usadas nessa faixa de preço é enorme. Para uso urbano tem poucas motos melhores do que NC750x, mesmo com essa oferta toda que falei. O que você vai encontrar são motos mais potentes (F 800 GS e Tiver 800xc) que seriam melhores nas estradas mas não são tão boas no trânsito. Você pode cogitar uma Verys 650 usada que sai ainda mais barata porém não tem concessionária em Recife. Só em João Pessoa. Isso é um inconveniente. Outra moto a ser considerada é a excelente Suzuki V-strom 650. Por esse preço você compra uma com ABS facilmente. Todas são motos bigtrail, que para o seu caso é melhor. Aproveito e convido você a participar do nosso grupo de motociclistas de Recife chamado “Amigos Coxinhas”. Por favor, me informe se lhe interessa. Nesse grupo você pode trocar informações com vários pilotos de vários modelos diferentes de moto e quem sabe até fazer um bom negócio. Temos alguns membros inclusive que são da Polícia e eles já fazem aquela checagem boa nos antecedentes da moto, se é que me entende.

      • Sim João seria interessante participar de um grupo assim, mas ainda não comprei a moto…

      • Caro Gustavo. Não é preciso ter moto ok ? Nossos encontros acontecem as quintas a noite. Podemos marcar uma noite e você aparecer lá, conhecer os amigos e ver os depoimentos deles, cada um com uma moto diferente. Aí você pode ter um relato em primeira mão de vários modelos de moto e formar uma opinião.

      • Ok, que lugar acontece esse encontro?

  47. Boa tarde João, quero comprar uma moto 600 cilindradas desportiva e com um ronco bonito irmão, meu uso vai ser mais urbano quero usar a moto pra ir trabalhar e para ir a faculdade sou personal trainer e trabalho em duas academias mas todas duas próximas de casa, minha cidade é Feira de Santana no interior da Bahia e tipo vou rodar no máximo uns 30 – 40 km por dia, as ruas da cidade basicamente quase todas são asfaltadas e os calçamentos tbm são bons queria uma dica de uma moto usada levando com o valor próximo aos 15 mil reais, estive procurando aqui e achei um er-6n 2010 com 30 mil rodados na base de 14-17 mil, Gsxf 750 2006 com 40 mil rodados na base de 15-18 mil, bandit650 2008 com 30 mil rodados na base de 15-17 mil e a MT-03 com 30 mil rodados por 14-15 mil e eis a questão qual seria uma escolha melhor pra não ter tantos prejuízos futuros como se um dia quiser uma maior achar um preço legal pra venda?

    • Você mencionou várias alternativas interessantes
      = A ER-6N 2010 da Kawasaki – É a melhor alternativa no quesito preço/benefício e usabilidade na cidade. É econômica, resistente, não dá galho. Sò que o ronco dela é de dois cilindros e não entusiasma. Para mim isso não é problema mas pra você é primeira coisa que você falou depois da cilindrada. É assim tão importante mesmo ?

      = GSXF 750 2006 da Suzuki – É a de maior cilindrada, motor de 4 cilindros que atende ao quesito “ronco bonito”. É uma boa moto, não tão econômica nem moderna. Já tá ficando meio velha e manutenção pode ser um problema.

      = Bandit 650 2008 da Suzuki – É a que tem a relação ronco/benefício (que para você parece ser + importante) melhor. È uma excelente moto e muito boa. Não dá galho e por ser mais nova, menos manutenção.

      = MT-03 da Yamaha – Você não disse o ano, mas no máximo ela é 2011. Pelo preço está cara. É uma moto que definitivamente não atende ao quesito ronco pois é monocilíndrica. Mesmo assim, é uma excelente moto para uso urbano. Ela só perde para a ER6-N. É barata de manter, é estilosa e bem exclusiva. A MT-03 é uma das motos mais vendidas na Europa mas aqui no Brasil ela não pegou porque a Yamaha vendeu ela no preço errado e quando consertou era tarde demais e a moto micou. De todas que você mencionou é a moto com o pior valor de revenda. Por isso que o preço pedido está mais caro. A manutenção dela é barata porque muitas das peças dela são compartilhadas com as XT 660 R e Ténéré 660. É uma delícia de pilotar, resistente, não dá bronca. Só que é casamento.

      Sendo assim, eu faria o seguinte ranking de motos para você comprar
      1 – Kawasaki ER-6
      2 – Bandit 650
      3 – MT-03 (pague no máximo uns 13 mil)
      5 – GSX 750 F (A “Mònica”)

  48. Bom dia João. Estou comprando uma shadow 600cc 2002 14 mil reais.

    O que preciso testar nela? 2002 é um risco pois játem quase 15 anos sde uso. Obrigado

    • Caro Romário.

      O fato da moto ter 15 anos não é tão preocupante assim. As Honda Shadow 600 são as melhores Shadow. São resistentes e simples e não dão galho. O que você tem que verificar é que tem na lista mais os seguintes detalhes :
      – Amortecedor traseiro. Monte e levante do assento e veja se o amortecedor faz algum barulho. Monte com força e levante repentinamente e veja se a suspensão volta rapidamente mas sem supetão a posição normal. Isso é fácil de fazer porque a Shadow tem assento bem baixinho.
      – Veja se tem vazamento de óleo nas bengalas da suspensão dianteira
      – O motor da Shadow é conhecido por não dar problema. Veja se ela pega com o motor frio, se pega com o motor quente, se faz algum barulho, se superaquece. Veja se tem algum vazamento de óleo ou água do radiador.
      – Veja o alinhamento das rodas. Use um par de barbantes. Amarre na roda da frente, estique o barbante para cada lado da roda até a traseira e veja se eles ficam alinhadinhos.
      – Pneus e correntes podem ser trocados se estiverem gastos. Mas é bom verificar pois pode ser a diferença entre você fazer um bom ou mau negócio.
      – Estado geral da pintura é importante nessa moto. Fácil de verificar, sempre a luz do dia.

      A documentação está em ordem ?

  49. gostaria de comprar uma 600 pois já tive 125,250,450 estou com uma pcx 150, mas gostaria de ir mais longe, por favor me de umas dicas, pois gosto muito do ronco delas. obrigado

    • Pelo que você relata chegou mesmo a hora de ter uma moto maior. Você já tem experiência e presume-se tem a maturidade para ter uma moto de 600cc. Para mim a categoria de 600cc é a melhor pois a moto é potente suficiente sem exageros. A diferença de desempenho que uma moto maior vai ter em relação a uma 600cc só vai aparecer após o limite de habilidade e/ou responsabilidade da maioria dos pilotos. Portanto, vai de 600cc que você vai bem. Moto maior do que 600cc é ostentação e exagero.

      Quando você fala que “gosto muito do ronco delas” então eu presumo que você está falando de 4 cilindros, portanto, suas alternativas no mercado brasileiro são

      Honda Hornet 600cc, a rigor, a melhor moto 600cc da história do Brasil até o momento.
      Yamaha XJ6, uma boa moto, muito honesta e bastante suficiente, apenas um pouco inferior a Hornet.
      Suzuki Bandit 600/650. A 600 era refrigerada a ar e 650 é refrigeração líquida e com injeção. Boa moto, a mais “datada” de todas mas vale a pena.
      Yamaha Fazer 600, que já saiu de linha faz tempo mas que vale muito a pena pois era a única moto capaz de andar com a Hornet. Em vários pontos a Fazer 600 é superior a Hornet.
      Triumph Street Triple 675, que apesar de ser 3 cilindros, deve ser considerada
      Honda CB650, a substituta da Hornet. Muito boa e mais mansa mas mesmo assim vale a pena encarar. Só tem 0km, praticamente.

      Depois vem as carenadas
      CBR 600F , a Hornet carenada, muito boa
      CBR 600RR, a fera radical, muito brava. Não recomendo
      Yamaha R6, muito radical também e muito cara. Pelo preço só um pouco maior você compra a R1. A Yamaha do Brasil nunca trouxe a R6 oficialmente portanto se você achar uma R6 é de importação independente.
      Kawasaki ZXR 636, a melhor 600 da face da terra. Se encontrar uma 0km com ano/modelo antigo vale a pena.
      Suzuki GSX 650 F, a Bandit carenada, a mais mansa de todas mas uma bela moto para impressionar.
      Triumph Daytona 675, um amigo trocou uma Kawa Z800 pela Daytona e adorou. Diz ele que a moto é uma delícia. Ainda não tive chance de pilotá-la.

      Depois das 4 cilindros vem as de 2 cilindros que devem ser consideradas.
      Kawasaki ER-6 N, muito boa e anda com as outras.
      Suzuki Gladius 650, uma moto muito boa para uso urbano, estreitinha e que anda bem.
      Kawasaki Ninja 650, que é a ER6-N carenada. Moto muito boa e de impacto.

      Fora isso, tem as …bigtrail …

  50. Boa tarde Joao, sou um apaixonado por motos com carenagens, tive uma cbr 450sr ano 1989, linda e muito confortável. Agora pretendo comprar outra moto e gostaria da sua opinião. Minha dúvida é a seguinte: ninja 300 nova ou uma 600 usada no mesmo valor ?? Vou usar para ir trabalhar 5 km e fins de semana passeios com a namorada que também ama motos, e algumas esticadas em viagens curtas, nada muito desgastante nem pra ir ao trabalho e nem em viagens. Qual a melhor opção custo/benefício, conforto, beleza, sendo que amo o ronco das 600 cilindradas hehe..abraços

    • Olá Gustavo.

      A melhor alternativa é mesmo uma 600cc usada em bom estado. Uma GSX650F da Suzuki sai bem barato hoje em dia. Não é a top performer da categoria mas é uma moto que tem as características que você procura e é muito mais moto que uma Ninja 300.

      Como você já sabe, esse tipo de moto não é lá as mais confortáveis para viagens. Mas ter tesão pela própria moto é mais importante do que sentir conforto.

      Recomendaria a GSX650F usada
      Ou um Ninja 650 de 2 ciolindros usada. O motor é bom mas não são 4 cilindros. Para você não é problema porque você tinha uma bicilindrica antes.

      Observe isso. Existe o ronco das 600cc e existe o ronco das motos de 4 cilindros. O número de cilindros é que caracteriza mais fortemente o ronco. Ou zumbido, conforme o caso.

  51. Fiz umas contas meio que por cima e fiquei bem impressionado com o gasto mensal que terei, mas ainda não coloquei na tabela. O gasto com segurança eu nem questionou, se quiser tem que pagar.
    Com seus comentários de pilotar sob chuva e sol me desanimou, rs.
    Vou fazer os cálculos mais precisos, conversar com outros motociclistas que talvez faça o caminho a São Paulo todo dia, via Ayrton Senna, tentar tirar ulguns gastos desnecessários e tentar encaixar a motoca nos meus gastos mensais.
    Mas particularmente você conhece alguem que rode tanto quanto é a minha previsão diária, 160 km??

    • Quanto deu o gasto mensal ? 160 km vezes 22 dias úteis (em média) dá 3520 km por mês. A 25km/l dá 140 litros/mês o que dá 408 reais só de combustível. Mais 20 reais de óleo por mês, embora você não vá trocar óleo todo mês. Você vai trocar a cada 5000 km, ou seja, 1 mês e meio. O custo aí já está em 428 reais de consumo imediato. Desembolso todo mês.
      Além disso tem as taxas, seguro, desvalorização, pneu, transmissão, vela, filtro de óleo, filtro dar, lavação, etc.
      Lamento saber que meus comentários sobre segurança o desanimaram.
      É uma boa ideia obter informação com outros que já vivenciam isso. Porém, fique atento e separe o que é “opinião” e “achismo” do que é fato concreto. Pilotos de moto tendem a gostar das motos e não veem coisas que poderiam depor contra elas. Se ligue nos fatos e nos números, ok ?

  52. João, pesquisando sobre como comprar moto usada, tive a felicidade de ler este seu post muito explicativo. Parabéns e mui to obrigado.
    Estou pensando seriamente em adquirir uma moto para ir trabalhar. Mas tenho uma dúvida inicial, pois moro em Suzano e trabalho na zona oeste de São Paulo. Seria 160 km rodados por dia. Quando penso em comprar uma moto, me vem em mente apenas a Yamaha Xtz 250 X, e recentemente descobri a Kawazaki D-Tracker. Esta última tenho receio por ser mais difícil a manutenção, assim acredito.
    Mas enfim, para ser breve, você acha viável encarar essa viagem diariamente? E como fica a manutenção?? Vou ter gastos mensalmente, além da gasolina.
    Espero uma opinião sua para poder clarear minhas idéias a respeito de trocar o coletivo pela motoca. Encarar busão, CPTM e metrô todo dia ta f***.
    Ah, o fato de ganhar 1 hora a mais na ida e na volta (assim eu imagino, estou certo??) é o que mais me motiva a encarar o transito de SP em horário de pico.
    Agradeço desde já a atenção e mais uma vez Parabéns.

    • Rodar 160km por dia para ir e voltar do trabalho não é fácil em canto nenhum do mundo. A minha primeira recomendação seria realmente se mudar para um local mais próximo ou mudar de emprego.
      Quanto a alternativa de ir de moto para o trabalho, é a mais viável em termos de transporte e você está certo em cogitar uma moto de 250cc no mínimo pois a distância é grande e você vai enfrentar estradas complicadas (Dutra ? Airton Senna ?).
      O gasto que você vai ter é basicamente o de manutenção normal da moto. Para saber quanto vai custar a sua moto, faça uma pesquisa de preços sobre quanto custa as seguintes peças:
      – óleo e filtro de óleo
      – coroa/corrente/pinhão
      – filtro de ar
      – pastilha de freio
      – pneus
      – vela de ignição

      Isso é o que vai ser gasto normalmente. Estime a duração de cada peça em km, estime quantos km´s você vai rodar por semana ou por mês. Verifique qual é o consumo de gasolina da moto. Uma 250 como você cogita vai fazer uns 25km/l de média.

      Junte toda essa info e leia esse artigo aqui
      https://joaoeurico.com/2013/09/09/quanto-custa-a-minha-moto/

      A planilha faz as contas e aí você vai ter uma noção do quanto vai custar a moto e se vale a pena.

      • Boa João!!!
        Vou usar essa tabela pra poder estimar o gasto que terei.
        A questao de me mudar para mais perto do trampo ainda é complicado pra mim, financeiramente e tbm por opção. Mudar de trampo é mais impossível ainda, é o “melhor que ta tendo” pra mim…RS
        Estava empogaldo em pegar uma moto, mas depois que parei pra pensar que são 160 km por dia….3200 por mês, no mínimo!!!! Me fez recuar um pouco a empolgação.
        Mas vou colocar tudo na ponta do lapis para pesar melhor a escolha.
        Tenho outra curiosidade João. Como é pilotar usando usando os equipamentos de segurança, digo jaqueta, luva, calça… Nesse calor diagramado de SP ultimamente??? Acho que esquenta um pouco, não???
        Faço a mesma pergunta em relação a dias de chuva. Usando capa ou roupa impermeável e sendo mais cauteloso ainda em pilotar, há outros desconfortos??
        Valeu por ter respondido!!

      • Tem que fazer as contas direitinho ok ? Se precisar de alguma info para preencher a planilha, me avise.
        Quanto a pilotar no calor, não tem jeito. É mesmo desconfortável. Uma alternativa é usar uma camisa de manga comprida dry-fit e as cotoveleiras e luvas por cima. O ideal ainda é uma jaqueta de cordura ventilada pois ela tem as proteções de cotovelo, ombro, costas. Bota, caça comprida e as joelheiras. Isso dá para conciliar mais facilmente.
        Quanto a chuva, a solução são as capas plásticas que normalmente só duram uma temporada. O vento acaba rasgando as capas plásticas. Vão tentar vender jaqueta impermeável. É cascata. Elas não aguentam os temporais por muito tempo. Leve sempre a capa de chuva no bagageiro da moto pois você não pode dar bobeira aí em Sampa e as inundações relâmpago. Choveu ? Procure um lugar alto e aguarde. Não fique esperando em lugar baixo a “chuva passar”

  53. qual a melhor para ir para faculdade todo dia (distancia 2km) fins de semana e as vezes, bem as vezes ir para o trabalho (distancia 9km) – cbr 1000rr ano 2007 (o que eu pretendo comprar), 600rr ano 2007 (parece muito com a 1000rr e é mais barata, estou em duvida), Z750 (nao gosto muito do desenho mas esta boa de preço pela potencia), ER6n (problema é que tem so dois cilindros), Buel light city (gosto muito do estilo dela mais desconheco tudo dela), Bking 2007 (tenho receio do custo beneficio) – quero gastar no maximo 25000 entao com certeza tem que ser usada. grato

    • Para percorrer 2km diariamente o melhor é ir a pé, principalmente se for em São Paulo. Sendo assim, vamos focar o uso da moto para os fins de semana que é quando você vai usar a moto pra valer.

      As CBR 1000RR e 600RR são virtualmente idênticas em termos de usabilidade. Elas são motos para pista. Na pista você vai poder aproveitar tudo que essas motos tem a oferecer. Não são motos para passeios pois são muito desconfortáveis. Garupa é sofrimento aí. Entre uma e outra ? Iria de CB 1000 RR mesmo.

      A Kawa Z750 é uma boa moto mas a Hornet, mesmo 150cc menor, é superior. A Z750 é uma naked, o que facilita um pouco na cidade mas dificulta na estrada por causa da pouca (nenhuma) proteção contra o vento. No fim, a Z750 perde para as CBR 1000/600 em termos de usabilidade.

      Não conheço esse modelo da Buell. Falando da Buell em geral, são motos bem interessantes, mesmo considerando que usam motores obsoletos da Harley Davidson. São motos de coxinha mas são mais capazes que as HD´s originais. A transmissão por correia que alguns modelos usam tem fama de indestrutível. Assistência técnica e peças pode ser um problema. Dependendo da oportunidade, pode ser uma boa. Os modelos esportivos são considerados as melhores motos para fazer curva. O conforto não é o forte.

      Kawa ER6n é uma excelente moto e o motor de 2 cilindros é muito bom. Não é um 4 cilindros. Mas e daí ? O que importa é o “punch” e esse motor tem bastante. Em baixa rotação ele tem até mais do que os 4 canecos. A moto é muito boa, tem carisma, mas sofre do mesmo problema da Z750 por ser naked. Para uso urbano é a melhor das alternativas que você mencionou. Como a rigor não tem nenhuma moto entre as que você citou que se destaque no quesito viagem-na-estrada, a ER6N está no párea. Grande vantagem ? É a mais barata.

      Suzuki B-King 2007, ou seja, uma das motos mais feias que existe na face da terra. Um monte de exageros, a começar pelo motor que é o mesmo da Hayabusa só que amansado. Essa é a moto mais coxinha das que você mencionou. Se a ideia é impressionar as empregadas domésticas do quarteirão, essa é a moto. Pesada, dificil de pilotar, feia e grandona de forma desproporcional. EU não quero nem dada.

  54. Boa tarde João!

    Estou começando no mundo das motos e gostaria de saber se a compra de uma fazer 250 ano 06/07 +/- seria uma boa opção. Ressaltando que seria para uso diário. Ou melhor uma de menor cilindrada (150) mais nova?

    • A FAzer é uma excelente moto. Na minha opinião é a melhor da categoria. Injeção eletrônica, um motor muito bom, bem projetado e muito resistente. Pode sim começar por ela, uma vez que você tem a grana para comprá-la. Proteja-se, compre equipamento de proteção, luvas, botas, jaqueta e obviamente capacete. Compre também joelheiras. Pratique bastante e faça um curso de pilotagem de verdade. Algumas concessionárias Honda e Yamaha oferecem cursos de pilotagem gratuitos. Procure se informar.

  55. Boa noite! Estou interessado em comprar uma custom, será minha primeira moto. Tenho em torno de R$4.000,00 para investir. Pelas minhas pesquisas, estou em dúvida entre Dafra Kansas (2011), Kasinski Mirage (2011) ou Suzuki Intruder 250cc (2001) esta é mais velha, mas parece ser mais confiável, ou será que dá muito pane? Assim, gostaria de saber se tem alguma dica pra me dar e/ou alguma observação a respeito destas motos. Obrigado.

    • No seu caso eu recomendaria a Intruder, apesar de tudo é uma moto de qualidade superior quando comparada as outras duas. A Mirage é uma boa moto porém a Kasinski, para todos os efeitos práticos, fechou. Isso significa que peças e assistência para ela agora só no mercado alternativo de adaptações. A Kansas (presumo que é a 150cc) é da primeira geração de motos da Dafra que eram muito ruins. Hoje tem motos bem melhores mas ainda inferiores as japonesas. Sendo assim, a Intruder, mesmo velhinha, é a melhor opção.

  56. Um item importante para se verificar é a relação. Quando comprei minha Lander (2006, praticamente uma senhora já) não prestei atenção nesse item e me dei mal. Já estava nas últimas marcações, fui trocar a relação e descobri que o antigo dono tinha soldado o eixo do pinhão, provavelmente por ter espanado o parafuso. Tive uma boa dor de cabeça com isso. Outra complicação foi os parafusos da pinça de freio, estavam velhos e deram muito trabalho pra trocar a pastilha. Mas isso não tinha mesmo o que fazer.
    Mesmo assim fui muito feliz com a moto, já tá com 94k no odômetro (20k comigo). Realmente a Lander é um fusca de duas rodas, não para nunca!

    Sobre o texto, é uma boa compilação meu amigo, parabéns pelo trabalho!

    • Tem razão. O estado da transmissão (coroa/corrente/pinhão) pode ser a diferença entre um bom e mau negócio. No entanto, esse episódio de pinhão soldado é muito raro pois só um mané faria uma coisas dessas.

  57. Olá! Tô começando no mundo trail, estou com uma DT180, porém a mesma vem apresentando um problema muito chato, vazando gasolina do filtro e do carburador tbm, o que devo fazer?! E Tenho outra pergunta tbm rsrs… vi um anuncio de uma TTR125, por 3 mill reais, ano 2007… é uma boa moto? tenho 1,78 de altura e peso 78 kilos, 18 anos, amante de trilha e motocross… o que devo olhar nela na hora da compra?

    Abraços…

    • O problema de vazamento é causado pela válvula da cuba do carburador. É só trocar que para de vazar. Custa uns 10 reais.
      A TTr é uma boa moto mas ela é bem mais fraquinha em comparação com a DT180 e você não é pequeno. Recomendo uma TTR 230 pelo menos ou dar um grau na DT180

      • Tá vazando tanto que nem liga, tô com medo que seja o tanque… a DT na verdade tá com a parte de cima do motor de RD 135… tornado no caso seria melhor p mim do que a ttr 125 ?

        Abraços vc é o cara

      • Se for o tanque é fácil de consertar. Encha-o de água e solde.
        Tornado é melhor do que TTR 125

  58. João, estou pensando em comprar minha primeira moto. Ja acompanho a um tempo tuas respostas do facebook e ja li bastante coisa aqui do teu blog. Tambem sou da area de computação mas engenharia rsrs
    Minha questão é a seguinte… ganho fixo 500 por mês, mas faço bicos diversos (venda de eletronicos, manutenção de PC, etc) e posso ter um auxilio da familia se necessario. Não tenho gastos. Tenho amigo gerente de banco e se for preciso consigo um financiamento sob boas condições. Minha duvida é quanto a moto. Vai ser pra uso diario. Gosto do estilo custom e naked. Inicialmente, já viajando, babei com uma ER-6N, que coloquei na cabeça que vai ficar pra depois e fui descendo, hornet 650 2007 (mas ainda ia ficar pesado o finan, fora a manutenção), shadow 600 2000 (me matando da pra meter a cara mas nao quero viver no sufoco), terminei chegando nas “basicas” como cbx 250, cb 300, recentemente bati o olho numa virago 250 2002, vi tbm uma cb 450 1986 (que o dono so pegou o motor e deu um facelift total nela deixando com cara de esportiva naked. pareceu a moto perfeita se nao fosse o fato de ela estar em SP e eu morar em Belém). Outro ponto é que tenho 1,81, e nao quero parecer e ficar um corcunda apertado numa moto. Descarto menores que 300~250 porque nao acho nenhum pouco bonitas e quero algo que agrade visualmente. Tendo em vista esses detalhes e ja agredecendo teu tempo, gostaria de saber tua opinião e sugestão pra mim. Obrigado.

    • Caro Luciano.

      De fato com a sua renda atual é melhor você encarar uma 250 ou 300. Para comprar uma moto antiga como a Virago ou a CB450 você tem que entender que a moto vai requerer mais atenção sua na hora da compra e depois que comprar porque por mais bem conservada que ela esteja vai ter mais frequência de regulagem, de troca de peças. Além disso, as peças são mais dificeis de encontrar, o que exige mais tempo seu dedicado a essa tarefa. Comprar uma moto antiga também significa se submeter a passar mais tempo com a moto parada. Portanto, se a ideia é fazer a moto de uso diário comprar uma moto antiga não é uma boa opção. Ainda assim, comprar uma moto usada (mas não antiga) pode ser a solução.

      Recomendaria uma Fazer 2010 ou 2009 (em bom estado). Essa é uma moto que dá pouquíssima manutenção, tem injeção eletrônica e tem muitas alternativas no mercado de motopeças. Todo mundo mexe nessa moto. Ela é pequena quando comparada com a CB300 mas dá. Outra alternativa seria uma Lander, que tem praticamente o mesmo motor, compartilha muitas peças com a Fazer. É resistente, econômica e cabe melhor para quem tem 1,81m de altura. Além disso, ela é mais confortável, é uma moto trail, o que significa que você encarar aventuras com ela bem como usá-la no dia-a-dia com desempenho semelhante ou superior as motos street da mesma categoria.

      Depois das Yamaha 250, você pode tentar a CB300 ou a XRE300. São motos muito boas mas tem alguns problemas quando compradas usadas. É preciso um pouco mais de cuidado. Ao mesmo tempo, elas são um pouquinho mais caras.

      Em terceiro lugar vem as motos alternativas. Na categoria de 250cc não tem muita opção que não seja Honda ou Yamaha. Descartaria as Kasinski imediatamente. Porém, você pode encarar uma Next 250 , uma Horizon 250 da Dafra. A Dafra também tem a Citycom 300I que é muito boa mas é scooter, não é moto. O lance é saber se a revenda Dafra aí em Belém está com boa saúde. Essas motos são muito desvalorizadas e você pode pegar uma pechincha comprando usada.

      Por último proporia a você procurar por uma Suzuki GS 500 que é uma moto de outra categoria. É uma moto barata, muito desvalorizada por não ser Honda. Mas é excelente. É robusta, não dá galho, tem desempenho superior (só as 600 de 4 cilindros andam mais que ela). É leve e fácil de pilotar, confortável e eu acho bonita, com cara de moto de verdade bem clássica. Se você achar uma em bom estado pode comprar. Sai muito barata. Não é fácil de encontrar porque ela não foi lá um sucesso de vendas e quem tem não vende porque a moto é muito boa. Nem se compara com 250/300. Peças para ela podem ser um problema, principalmente se não tiver revenda Suzuki aí em Belém. Porém, eu conheço uma loja em São Paulo que tem tudo e vende pelo correio. Muitas peças dessa moto são padronizadas (freios, transmissão, velas, etc) de modo que o que precisa ser trocado regularmente não é problema para achar.

      Siga as dicas e se tiver alguma dúvida, não hesite em me perguntar.

  59. Bom dia! Estou interessado em comprar a Comet GTR da Kasinski, assim, gostaria de saber se tem alguma dica pra me dar e/ou alguma observação a respeito desta moto.

    • Essa moto é boa e honesta. Desvalorizou muito e comprar uma usada é uma boa ideia pois você já compra ela desvalorizada, portanto quem paga a desvalorização é o dono anterior. Só que tem uns problemas. Primeiro a Kasinski anda muito mal das pernas. Teve uma queda de 64% nas vendas entre 2012 e 2013. Isso significa dificuldade de peças e de obtenção de garantia e desvaloriza ainda mais a moto. No entanto, na internet é possível encontrar peças para ela. Tenho um amigo que comprou uma moto dessas há uns 3 ou 4 anos e criou um site para revenda das peças. Ele importava e revendia aqui no Brasil. Funcionou tão bem que a Kasinski implicou com ele.
      Ou seja, se você está disposto a arriscar, obtenha um bom desconto e compre a moto. Saiba que a revenda dessa moto é muito dificil ou seja, isso aí vai ter cara de casamento e a moto arrisca ficar de herança para o seu bisneto.
      No mais, siga as dicas que estão no post e não terá maiores problemas.

  60. Gostei agora sim vou compra com segurança minha moto.

Comente aqui ou faça uma pergunta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s